Nas Bancas

Cinco manchetes que mostram que a imprensa britânica trata Kate e Meghan de forma diferente

Os duques de Sussex queixam-se com frequência da pressão mediática, o que é apontado como um dos motivos para o casal querer afastar-se da realeza.

CARAS
14 de janeiro de 2020, 11:34

Desde que Harry e Meghan anunciaram o desejo de afastamento dos seus papéis como membros sêniores da Família Real, muito se especula sobre os motivos que levaram o casal a tomar tal decisão. E a má relação dos duques de Sussex com a imprensa britânica pode estar entre as razões.

Foi no documentário transmitido pela ITV e produzido por Tom Bradby, “Harry e Meghan: uma viagem africana”, que Meghan e Harry falaram abertamente sobre a pressão mediática que sofrem. “Sempre que vejo uma câmara, sempre que oiço um clique, cada vez que vejo um ‘flash’ ... isso faz-me lembrar [a morte da mãe]. É a pior lembrança”, afirma Harry, que perdeu a mãe quando tinha apenas 12 anos. O filme deixa explícito o medo do príncipe de que a mulher sofra do mesmo tipo de perseguição, a qual Meghan sentiu de forma evidente na gravidez. "Qualquer mulher, especialmente quando está grávida, é vulnerável, por isso tornou-se bastante desafiante. E depois, quando temos um recém-nascido, sabe. Especialmente enquanto mulher, é demasiado. Porque se adiciona isto ao facto de estar apenas a tentar ser mãe ou uma recém-casada. Obrigada por perguntar porque muito poucas pessoas me perguntaram se estava bem. Mas é algo muito real, passar por tudo nos bastidores".

Depois de divulgado o documentário, o casal informou que entraria na justiça contra o jornal britânico "Daily Mail" "pela publicação intrusiva e ilegal de uma carta privada escrita pela duquesa de Sussex". Em outubro 72 parlamentares do Reino Unido escreveram uma carta aberta solidarizando-se com a situação da duquesa de Sussex.

E não é preciso procurar muito para encontrar exemplos da forma diferente pela qual a imprensa britânica trata os duques de Cambridge e de Sussex. Tanto Kate quanto Meghan foram muito fotografadas com as mãos na barriga durante o período em que estavam grávidas. Se no caso de Kate, o "Daily Mail" caracteriza o toque como ternurento, Meghan foi chamada de "orgulhosa e vaidosa" pelo mesmo jornal. Já no caso dos batizados de Louis e Archie, a publicação dá tons diferentes para o facto de a rainha Isabel II não ter participado dos eventos. Na celebração do filho de William e Kate, a "rainha perde o grande dia", enquanto que no caso do filho de Harry e Meghan, os duques marcaram a data num dia em que a rainha "já estava ocupada".

Outro exemplo flagrante diz respeito às flores dos buquês de noiva de Kate e Meghan. Se para o jornal "Express" a duquesa de Cambridge levou "um buquê elegante e discreto", a duquesa de Sussex colocou "a vida da princesa Charlotte em risco". Ambos os buquês tinham na sua composição o lírio do campo, flor que o jornal afirma ser tóxica se ingerida.

E se Kate foi muito elogiada pelo "Mirror" quando surgiu com a rainha sem usar um chapéu, Meghan não foi poupada pelo jornal, que afirma que a duquesa "quase entrou numa grande confusão". E nem os maridos das duquesas saem ilesos. O "The Sun", outro tabloide britânico que costuma cobrir a realeza, considera a atitude de William de desafiar a tradição real de manter-se firme e falar sobre saúde mental um acto de defesa do irmão. Mas quando os protagonistas são Harry e Meghan, a manchete muda de tom: "Será que é uma coisa boa?". Veja as manchetes na galeria acima.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras