Nas Bancas

Porque é que Leonor e Sofía de Espanha têm uma relação diferente com as duas avós?

Saiba mais sobre este tema.

CARAS
17 de outubro de 2019, 09:32

Esta sexta-feira, as mães dos reis de Espanha acompanharão a neta, a princesa Leonor, na sua estreia nos Prémios Princesa das Astúrias, além dos pais e da irmã, é claro.

Pela primeira vez, Paloma Rocasolano, mãe da rainha Letízia, e a rainha emérita Sofía, assistaram à cerimónia em condições de igualdade, ambas na qualidade de avós da protagonista e não apenas como sogra e mãe de Felipe VI, respetivamente, o qual estava encarregue, desde 1981, de presidir à entrega dos galardões.

Uma igualdade, contudo, que não se traduz no quotidiano da menina, que é mais próxima da avó materna do que da paterna. Um especialista defende que, apesar de Letízia ter “definido os limites da sogra em benefício da sua mãe” desde o momento do nascimento da princesa das Astúrias em 2005, foi em 2017 que se tornou pública a diferente relação que tanto Leonor como Sofía mantêm com as suas avós.

A jornalista Pilar Eyre afirmou, nessa altura, que a monarca emérita se queixou à sua família de origem, proveniente da Grécia, que tinha dificuldades em ver as netas. “Não sei como estão. Nunca as vejo. Não me deixam vê-las. Vivo ao lado delas mas não ir à sua casa. E, no entanto, a mãe de Letízia está sempre lá”, terá dito a mãe de Felipe VI. Um ano depois, o episódio de conflito em Palma de Maiorca veio confirmar a difícil relação entre as duas rainhas.

Por outro, o relacionamento das duas meninas com Paloma Rocasolano, que se muda para o palácio da Zarzuela sempre que os reis têm de sair em visitas oficiais ao estrangeiro, é tão estreito quanto é possível ser entre avó e netas.

De acordo com Carmen Enríquez e Emilio Oliva em “Felipe e Letízia - Reis de Espanha”, a mãe de Letízia sempre se pautou pela sua discrição. Ela e Letízia são muito próximas, saem juntas às compras, e esta confia-lhes aos filhas sempre que viajam. “A mãe do rei sentiu-se deslocada, ainda para mais quando se percebeu que Paloma fica responsável por Leonor e Sofía quando a mãe está fora. A razão pela qual isso sucede é que a mãe de Letízia cumpre estritamente com as diretrizes da filha no que diz respeito à alimentação e aos horários, enquanto a rainha tem o seu próprio critério”, assegurou a jornalista Mariángel Alcázar num artigo que dava conta dos motivos para os diferendos entre as duas rainhas. De acordo com Eyre, desde pequenas que Leonor e Sofía olharam para a mulher de Juan Carlos “como uma estranha. A avó era ‘a outra’, Paloma Rocasolano, que praticamente morava com elas”.

A rainha Sofía, pelo contrário, sempre teve de pedir autorização ao filho e à nora para visitar as duas crianças, tudo por causa de Paloma, que um mês depois do incidente fez uma exceção, surgindo numa tarde de teatro na companhia da filha e das netas, para mostrar uma aparente unidade com a família real espanhola. Foi uma das poucas ocasiões em que as mães dos reis surgiram juntas em público.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras