Nas Bancas

Elas Aurea e Marisa Liz 011.jpg

Ricardo Santos

Marisa Liz e Aurea: uma cumplicidade feita de afetos e notas musicais

Juntas no projeto “Elas”, as duas cantoras conhecem-se há dez anos. “Houve uma noite em que conversámos oito horas, em que a Marisa me deu vários conselhos. E fiquei muito sensibilizada”, revela Aurea.

Vanessa Bento
9 de fevereiro de 2020, 10:00

Marisa Liz e Aurea são feitas de música e fazem dessa música as suas vidas. Em 2019 decidiram unir as notas musicais que povoam os seus corações e fizeram um disco onde estes batem ao mesmo ritmo. Porque, apesar das diferenças que as caracterizam, são as emoções que as unem. E essas estão bem visíveis neste trabalho, onde Elas, nome que deram a esta união musical, se revelam em temas repletos de significado. Eu Gosto de Ti é, além do primeiro single, um manifesto de amor que as duas cantoras pretendem ver assumido pelos portugueses. Porque as palavras bonitas são para ser ditas. E foi exatamente isso que Marisa e Aurea fizeram nesta entrevista, na qual a primeira assume que a família, nomeadamente os filhos, Beatriz, de 11 anos, e Tiago, de quatro, fruto do seu relacionamento de 20 anos com Tiago Pais Dias, são o seu porto de abrigo. Aurea, por outro lado, confirmou, já depois desta conversa, que terminou o relacionamento com o ator Ricardo Oliveira.

– Peguemos na letra do vosso primeiro single para começar esta entrevista: “Mas o caminho é voltar, sempre”?

Aurea – Temos muita sorte em fazer aquilo de que gostamos. É uma coisa que nos preenche e acho que só assim somos felizes, a fazer música, a chegar ao máximo de pessoas que conseguirmos, tentando proporcionar-lhes momentos diferentes, podendo ajudar em momentos complicados. Mas também precisamos do que nos dá força, do que nos recarrega as energias, do que nos faz sentir em casa. E isso passa pelas pessoas que temos e que amamos. Voltar é sempre das melhores partes. Poder partilhar momentos com a nossa família, com os nossos amigos, estar para eles... Sem isso não conseguimos fazer o nosso trabalho da melhor forma possível.

– É nesse regresso que se fortificam?

Marisa – O amor recarrega as nossas energias, estar com aqueles que mais amamos é isso mesmo.

– E quem vos dá o colo de que precisam para enfrentar a estrada e os concertos longe de casa?

– No meu caso, quem me dá colo, ou melhor, a quem eu dou colo e quem recarrega todas as minhas energias são os meus filhos. Mas também vou buscar esse colo a todas as pessoas que amo, à minha família, à minha mãe, que ainda me dá colo e espero que dê sempre.

Aurea – Felizmente, tenho a sorte de fazer este trabalho com alguém que também me dá muito colo, por isso as coisas se tornaram um pouco mais fáceis agora.

Marisa – Na verdade, damos colo uma à outra.

– A Marisa falou dos seus filhos. São essa força, mas também a saudade?

– Se passarmos 24 horas com alguém, acho que não conseguimos dar o melhor de nós, porque precisamos do resto do mundo, de o conhecer e de conhecer outras pessoas. E esse é o exemplo que tento passar aos meus filhos. As saudades são sempre imensas a partir do momento em que saio de ao pé deles, mas regressar a casa também colmata essa distância e faz com que nos apercebamos que a nossa relação é realmente muito forte. As saudades vou sentir para sempre, mas giro a minha vida de uma forma em que tento que as saudades que tenho deles sejam cada vez menores. Isto porque consigo ter tempo para estar com eles ao máximo.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras