Nas Bancas

José Cid vence Grammy

O cantor foi distinguido esta quinta-feira, 22 de agosto.

CARAS
23 de agosto de 2019, 11:16

José Cid foi distinguido esta quinta-feira, 22 de agosto, com um Emmy, um prémio atribuído pela Excelência Musical, concedido a artistas pelo percurso artístico excecional em prol da música latina.

Aos vários órgãos de comunicação social, o intérprete de Um grande, grande amor admitiu sentir-se feliz pelo reconhecimento do seu trabalho, sublinhando que este é também um elogio aos estilos pop e rock portugueses.

O artista vai receber o prémio ao lado de Joan Baez e Omara Portuondo numa cerimónia que terá lugar no Waldorf Astoria Las Vegas, no próximo dia 13 de setembro. José Cid vai receber o prémio, ao lado de nomes como Joan Baez (Estados Unidos) e Omara Portuondo (Cuba), durante uma cerimónia no Waldorf Astoria Las Vegas, a 13 de setembro.

José Albano Cid Ferreira Tavares, mais conhecido como José Cid, é o vencedor do Prémio de Mérito e Excelência da XXIII Gala dos Globos de Ouro. O galardão foi entregue por Francisco Pinto Balsemão, que enalteceu o dom do músico de alegrar gerações com o seu trabalho.

No discurso de agradecimento, José Cid revelou-se "completamente surpreendido", não conseguindo esconder as lágrimas de alegria. "Adoro tanta gente que está aqui. Obrigada", proferiu, com a voz embargada. De seguida, pediu um aplauso à mulher e agradeceu a todos os que sempre estiveram do seu lado. Já sem palavras, preferiu cantar um pouco, deixando todos os presentes no Coliseu de Lisboa a cantar a aplaudir em sintonia.

Nascido a 4 de fevereiro de 1942, José Cid iniciou o seu percurso na música aos 14 anos, quando integrou o agrupamento musical Os Babies. Aos 17 anos compôs a sua primeira canção, “Andorinha”. Interrompeu o regime militar para, em Coimbra, ingressar na Faculdade de Direito, mas não chegou a concluir os estudos. A música falou sempre mais alto. Passou por vários grupos musicais, mas o momento de mudança na sua vida aconteceu aos 23 anos, quando fez uma audição que o tornou vocalista e teclista do Quarteto 1111. Juntamente com Miguel Artur da Silveira, António Moniz Pereira e Jorge Moniz Pereira, faz sucesso com o tema “A Lenda de El-Rei D. Sebastião”. O primeiro álbum a solo é lançado em maio de 1971. “20 Anos”, um dos seus maiores êxitos, surge em 1973. O tema “Ontem, hoje e amanhã” é premiado em Tóquio, Japão, em 1975. Seguem-se anos de grandes sucessos e aplausos do público e da crítica. Em 2016 lançou o último disco, “Grande Êxitos”, que reúne os seus temas de maior sucesso. Concorreu 16 vezes ao Festival da Canção, sendo que a primeira aconteceu em 1968 e a última em 2018. A revista "Sputnik" elege o seu trabalho como um dos melhores do rock progressivo de sempre. É o músico que mais sucessos produziu em Portugal. Também em 2018 venceu o Globo de Ouro de Mérito e Excelência.

“Um Grande. Grande Amor”, “A Pouco e Pouco”, “Como Macaco Gosta de Bananas”, “A Cabana Junto à Praia”, “Cai Neve em Nova Iorque”, “Ontem, Hoje e Amanhã”, “A Rosa Que Te Dei” são alguns dos muitos êxitos que José Cid lançou e que marcam o panorama musical português.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras