Nas Bancas

Quatro investigadoras distinguidas com o prémio mulheres na ciência

“Fico feliz por conhecer os projetos destas jovens e ver que as mulheres são realmente extraordinárias.”

Andreia Cardinali
20 de março de 2019, 13:59

Há 15 anos que é atribuído anualmente a jovens investigadoras entre os 30 e os 36 anos o Prémio Mulheres na Ciência, financiado pela L'Oréal Portugal. Este ano, a distinção, no valor de 15 mil euros, foi pela primeira vez entregue a quatro mulheres, em vez das três de anos anteriores. Diana Madeira, da Universidade de Aveiro, Joana Cabral, da Universidade do Minho, Joana Caldeira, da Universidade do Porto, e Patrícia Costa Reis, da Universidade de Lisboa, foram as vencedoras deste ano, numa cerimónia que teve lugar no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, e que foi presidida, como é habitual, pela antiga primeira-dama Maria Cavaco Silva. “Fico muito feliz que este ano haja mais uma vencedora, sempre disse que só três era sempre desequilibrado na fotografia final. [Risos.] Como sabem, gosto imenso de ciência, tenho cientistas lá em casa, a começar pela minha filha, e sei como é uma profissão exigente, ainda para mais para quem é mãe. Já acompanho estes prémios desde a sua primeira edição e este é o prémio que me dá mais prazer. Fico sempre muito feliz por conhecer os projetos destas jovens e ver que as mulheres são realmente extraordinárias. Isto que a L'Oréal faz é solidariedade científica e deve ser reconhecida”, declarou a mulher do antigo Presidente da República Aníbal Cavaco Silva.
E porque a entrega de mais um prémio não foi a única novidade desta manhã, coube pela primeira vez a um homem, José Alberto Carvalho, a apresentação da cerimónia: “Fiquei muito honrado com o convite, mas quando soube que era o primeiro homem a fazê-lo também senti um peso acrescido de responsabilidade. Os homens e as mulheres devem andar lado a lado e ter as mesmas oportunidades e ser reconhecidos e agraciados de igual forma. Este é um prémio muito importante.”
No final da cerimónia de quase duas horas, que contou ainda com a atuação da cantora de jazz Sofia Hoffmann, as galardoadas receberam os parabéns e os aplausos de todos os presentes. “Foi uma honra receber este prémio, que promove a valorização das mulheres na ciência e enaltece o seu trabalho, ainda para mais na área do mar, que é a minha, uma área tão importante para Portugal”, referiu Diana Madeira, enquanto Joana Caldeira acrescentava: “Sempre gostei de ciência e tinha alguns modelos femininos como inspiração. Para mim é um orgulho receber este prémio, que também nos ajuda a continuar a seguir a ciência e abre portas para continuarmos a nossa investigação, que no meu caso é regenerar o disco intervertebral através da utilização da tecnologia do genoma humano CRISPR/Cas9.”

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras