Nas Bancas

Fatima11.jpg

Paulo Miguel Martins

Fátima Lopes confiante “Quando sinto que já não devo estar numa relação, acabo e é definitivo”

Aos 53 anos, a criadora madeirense é uma mulher bem resolvida e segura das escolhas que tem feito. Terminado o seu terceiro casamento, Fátima só tem um objetivo: ser feliz.

Marta Mesquita
26 de novembro de 2018, 09:58

Ao longo de mais de 25 anos de carreira Fátima Lopes tem quebrado estereótipos e preconceitos, mostrando coleções com uma linha criativa ímpar, que já têm o seu lugar na Fashion Week de Paris. A criadora continua a trabalhar com o mesmo entusiasmo de quem acaba de começar. Já fez muito, mas sente que ainda tem muito para mostrar, porque as ideias, essas, nunca se esgotam.
Se com a estilista a conversa também não se esgotaria, nesta entrevista optámos por dar a passerelle à mulher de 53 anos que sabe muito bem aquilo que quer e que não abre mão da sua independência. O seu divórcio de Ângelo Rebelo, o que procura numa relação, arrependimentos em relação ao passado e o que é essencial para ser feliz foram temas que desfilaram nesta conversa sincera e sem filtros.

– Hoje estamos no seu ateliê, que é também onde funciona a Face Models. Gosta de ser uma líder?
Fátima Lopes – Gosto de liderar, mas não me revejo nisto de ser a patroa. Não gosto de dar ordens, porque nunca gostei que o fizessem comigo.

– Sempre foi “dona de si própria”?
– Sempre, desde criança! Se me dessem uma ordem, perguntava logo: “Porquê?” Nunca aceitei ordens. Não controlo a vida de ninguém e não admito que tentem controlar a minha. Basta tentarem para já não funcionar. O respeito pela privacidade e independência de cada um é fundamental. E tem de haver confiança. Não tenho paciência para ciúmes, por exemplo. E exijo ser muito bem tratada, porque é assim que trato quem está comigo.

– É fácil lidar consigo?
– Sim, porque não imponho nada a ninguém nem acho que seja a dona da razão. Sei falar e ouvir. Quem entra na minha vida por bem, nunca mais sai. Sou completamente transparente, nunca enganei ninguém. E exijo que sejam assim comigo. Não tenho paciência para mentiras nem fingimentos. Não perco um segundo com pessoas ou situações que não valham a pena.

Leia esta entrevista na íntegra na edição 1214 da revista CARAS.
Assinatura Digital

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras