Nas Bancas

Diana de Cadaval apoia crianças carenciadas e doentes do Egipto

A duquesa relata a viagem solidária que ela e o marido, Charles Philippe d'Orléans, fizeram ao Cairo e a Alexandria.

Andreia Guerreiro
3 de abril de 2010, 17:29

Chargée de Mission (encarregada de missão) da Chaîne Foundation, obra social da Confrérie de La Chaîne des Rôtisseurs, da qual é membro desde Novembro de 2009, a duquesa Diana de Cadaval e o marido, o príncipe Charles Philippe d'Orléans (que tem o grau de Oficial Cavaleiro de Honra da mesma associação), estiveram recentemente no Cairo, para visitar um hospital oncológico para crianças carenciadas e um orfanato. A duquesa publica em exclusivo para a CARAS o relato dessa vivência.

Diana de Cadaval - No mundo em que vivemos hoje há tanta gente que precisa de ajuda, que, quando temos a possibilidade de ajudar, é um dever fazê-lo. Quer seja dando algumas horas do nosso tempo, quer através de donativos materiais. Sei que se todos participássemos, o mundo seria um lugar melhor para todos. Não há nada pior do que a indiferença, sobretudo quando está ao alcance de todos nós podermos contribuir para fazer a diferença. Como pessoa com alguma notoriedade pública, como herdeira de títulos e tradições, gosto de poder contribuir para dar a conhecer obras que desenvolvem um trabalho importante ajudando, os que precisam em Portugal e no mundo.

Faço-o hoje no âmbito do meu cargo na Chaîne des Rôtisseurs, associação gastronómica internacional, com membros profissionais e não profissionais de todo o mundo que têm em comum a mesma paixão pela grande cozinha e pelo bom vinho e que, há três anos, criou a Chaîne Foundation, com o objectivo de garantir comida para crianças carenciadas.

Charles Philippe dOrleans e Diana de Cadaval
Charles Philippe dOrleans e Diana de Cadaval
Atlântico Press
Na primeira etapa desta minha nova missão fui ao Egipto visitar um hospital para crianças com cancro, o Children's Cancer Hospital of Egypt. Este hospital é um exemplo para o mundo: foi totalmente construído e equipado graças aos milhões de donativos de milhões de pessoas. O Egipto inteiro participou, até mesmo os mais pobres, com os seus pequenos e possíveis donativos. Isto demonstra uma coisa: quando todos participamos e trabalhamos juntos para um objectivo podem conseguir-se verdadeiros milagres.


Ao chegar ao hospital, fiquei muito surpreendida com a sua arquitectura e design ultramodernos. Conta com as mais avançadas tecnologias para os tratamentos e estada das crianças com cancro. Os tratamentos são gratuitos e, quando as crianças estão hospitalizadas, as famílias podem ficar com os seus filhos. O hospital também propõe exames de prevenção do cancro, como mamografias, sem custos.


O cancro é uma doença terrível, que atinge todas as famílias, sem excepção de raça, cor, nível social ou idade. E são inúmeras as crianças que sofrem e lutam diariamente para enfrentar esta doença. Os seus sorrisos mostram-nos a sua vontade e alegria de viver, mas os seus corpos mostram-nos a dureza dos tratamentos e o sofrimento que eles carregam.

Diana de Cadaval
Diana de Cadaval
Atlântico Press
O conceito excepcional da construção deste hospital, baseado na generosidade dos mais ricos e dos mais pobres, pode mudar a vida de milhares de doentes em todo o mundo.


Aceitei ir ao Egipto para dar ainda mais visibilidade a uma acção de angariação de fundos para um orfanato de crianças dirigida pela congregação religiosa Padre Pio, com a qual a Chaîne Foundation colabora, garantindo as refeições diárias. Este projecto foi iniciado aquando da criação da fundação, há três anos. Hoje, o orfanato é composto por 12 casas que acolhem diariamente mais de 250 crianças.

No segundo dia, fomos aos subúrbios de Alexandria, onde fica o orfanato. Quando chegámos, fomos acolhidos por padres, freiras e crianças, que estavam felizes por ver que o mundo se lembra deles. As condições de vida são simples e modestas, mas os padres e freiras conseguem fazer milagres com o pouco que têm. Proporcionam uma vida segura, estável e com muito amor a estas crianças que foram abandonadas.

No Egipto, a adopção não é uma opção. Estas crianças estão sob a responsabilidade desta congregação religiosa até serem adultas e poderem sustentar-se. A educação que lhes é dada prepara-as para terem capacidade para encontrar uma porta de saída e tornarem-se adultos trabalhadores no mundo de hoje.


Diana de Cadaval e Charles Philippe dOrleans
Diana de Cadaval e Charles Philippe dOrleans
Atlântico Press
Estivemos o dia todo com as crianças, que só queriam colo e abraços. A felicidade era tal que cantaram muitas canções e dançaram... Tínhamos levado malas com chocolates e bombons e para eles era como se fosse Natal, quando partimos seguiram-nos até ao portão, gritando em Português: "Até amanhã!"


Em Portugal, ajudo também a obra do senhor padre Senra Coelho, em Évora. O Centro Comunitário Pastorinhos de Fátima alimenta mais de 200 pessoas com três refeições por dia, pelo que precisam de todo o tipo de alimentos. Se quiser ajudar esta obra, ligue para o tel.: 266 757 100. Vamos ajudar para que também em Portugal ninguém passe fome.




Siga a CARAS no
e no
!

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras