Nas Bancas

8.jpg

Neil Mockford

O que revela a linguagem corporal de Meghan no primeiro ato oficial com a rainha

Especialista apontaram os gestos - e respetivos significados - que escaparam à maioria. Alguns poderão mesmo surpreender.

CARAS
15 de junho de 2018, 12:39

Afinal, Meghan estava ou não nervosa no primeiro ato oficial em que esteve lado a lado com a rainha? Robin Kermode, especialista em linguagem corporal e autor da consultora de comunicação Zone2, diz que sim. Pelo menos, ao início.

Robin explica que, ao sair do comboio, atrás de Isabel II, a duquesa de Sussex adotou uma postura que demonstrava uma certa insegurança: alguma tensão na mão que segurava a sua clutch, e os ombros ligeiramente levantados, "num claro desejo de fazer as coisas da melhor maneira".

A forma como segurava a bolsa, ao contrário da rainha, que optou pela característica mala de mão, bem como as costas ligeiramente arqueadas, demonstravam que Meghan estava consciente e, ao mesmo tempo, preocupada com o seu visual. "É claro que ela tem muitos anos para se habituar", afirmou Robin.

O especialista comentou ainda o momento vivido entre ambas ao entrar no carro, quando Meghan ficou indecisa no que toca a quem deveria entrar primeiro. "A Meghan está claramente preocupada com o protocolo real. Ela dá status à rainha, ao manter-se sempre atrás desta e deixá-la liderar. E pensava que deveria ser esta a entrar primeiro no carro. O único pormenor que deixa observar o seu nervosismo é o facto de ter os ombros um pouco inclinados para baixo, ao contrário da sua postura usual", continuou Kermode.

Uma outra especialista, Judi James, falou acerca da postura de ambas durante a inauguração da ponte Mersey Gateway, garantindo que a rainha se mostrava "completamente confiante no que toca ao nível de confiança de Meghan. Ela parecia totalmente encantada na companhia da duquesa", tratando-a quase como uma neta ou amiga próxima. Kermode acrescentou que, neste momento, "ambas optaram por uma posição de relaxamento das mão, apoiando-as sob os joelhos". Ao falar com David Parr, que se encontrava do seu lado direito, Meghan adotou uma outra postura, mostrando-se, talvez, um pouco aborrecida com aquilo que estava a ouvir, mexendo nos brincos que usava e passando a mão no cabelo, como que a penteá-lo.

Apesar demostrar uma certa descontração ao lado da rainha, a duquesa de Sussex mostrou-se bem menos confiante de si mesma, provavelmente por respeito à monarca. E também se atribuiu tal postura à ausência de Harry. "Em parte, penso que ela poderia sentir a falta do marido porque muitos dos seus rituais de linguagem corporal ao seu lado são reconfortantes. Faltava-lhe o seu braço direito", concluiu Judi James.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras