Nas Bancas

Kate respira de alívio: Casamento vai ‘reabilitar’ a imagem da sua irmã, Pippa

Depois do casamento, dia 20 de maio, Pippa Middleton voltará, muito provavelmente, a ser fotografada com a irmã, assim como com os sobrinhos.

Ana Oliveira
18 de maio de 2017, 12:00

A poucos dias do casamento da sua irmã mais nova, Pippa, de 33 anos, com James Matthews, de 41, marcado para 20 de maio, Kate Middleton só pode respirar de alívio. Afinal, a união da organizadora de eventos com este filho de boas famílias – o pai de James, David Matthews, é dono de uma vasta propriedade na Escócia com mais de quatro mil hectares cuja aquisição lhe deu o direito de usar o título de laird (não nobiliárquico, mas ainda assim de prestígio) e o próprio James, gestor de investimentos de risco e dono do Eden Rock Capital Management Group, frequentou Eton, o mesmo colégio onde estudaram os príncipes William e Harry – dá-lhe estatuto social e, mais importante ainda, afasta de vez a imagem um pouco fútil da jovem Middleton, que chegou a ser descrita nos jornais britânicos como uma party girl (algo como “a sempre em festa”).
As saídas à noite e as fotografias de copo na mão, amplamente exploradas pela imprensa, assim como as mudanças de namorado (no seu currículo amoroso dos últimos anos constam os nomes do corretor Nico Jackson, do jogador de críquete Alex Loudon, de Alexander Spencer-Churchill, sobrinho do duque de Marlborough, e do banqueiro JJ Jardine-Paterson) terão levado a família real e, muito provavelmente, a própria rainha Isabel II, a recomendar a Kate que se mantivesse discretamente afastada da irmã, de modo a que a sua imagem não saísse afetada pelo comportamento potencialmente comprometedor de Pippa. Mas agora esse perigo parece afastado, já que o casamento traz uma aura de respeitabilidade à imagem da irmã da duquesa. E esse parece ser, aliás, o culminar de um caminho que Pippa tem feito lenta, mas consistentemente, ao longo deste último ano.
Depois de uma época em que apostou na imagem de mulher trabalhadora, dedicando-se à empresa de organização de eventos da família e escrevendo até um livro no qual ensinava a planear uma festa, Celebrate: A Year of Festivities for Families and Friends, editado em 2012, Pippa, que entretanto se sentiu na obrigação de dar algumas entrevistas, percebeu que tudo isso a expunha demasiado – o primeiro passo para ver a sua imagem comprometida. E esta semana, numa crónica intitulada Pippa Middleton: a problem solved?, publicada no jornal The Independent, a jornalista Emily Hourican adianta mesmo que Pippa procurou o cunhado, o príncipe William, para receber conselhos sobre a melhor forma de gerir a imagem. Este ter-lhe-á dito que o low profile é sempre a melhor opção (só o exemplo da atribulada vida de Sarah Ferguson, ex-mulher do príncipe André, bastaria para o provar), já que afasta notícias, sejam elas positivas ou negativas. E isso, no entender de qualquer membro da família real hoje em dia, é sem dúvida uma benesse.
Assim, Pippa tem tentado manter-se o mais discreta possível, mas ainda não voltou a ser fotografada com a irmã – note-se que nem nos batizados dos dois sobrinhos surgiu em fotos onde estivessem Kate ou os filhos desta, George e Charlotte, o que não é certamente fortuito, mas antes uma opção deliberada –, embora muitas vezes tenham estado nos mesmos eventos públicos (como o torneio de Wimbledon, em julho do ano passado).
Claro que a proximidade das duas irmã nunca deixou de existir, apenas passou a desenrolar-se em privado. Com apenas dois anos de diferença de idades, toda a vida as duas partilharam interesses e experiências, tanto entre elas como com a mãe, Carole, que alimenta um certo espírito de clã na família. E Kate tem sido o grande apoio de Pippa nos preparativos para o casamento de luxo que se celebra no próximo dia 20, na Igreja de St. Mark, em Englefield, no condado de Berkshire (a cerca de 60 quilómetros de Londres). Uma construção que remonta ao século XIII e tem estado em obras para acolher os ilustres 350 convidados que irão assistir à cerimónia.
O copo d’água acontecerá na quinta da família Middleton, em Bucklebury, uma propriedade com 18 hectares rodeada de floresta. Não se conhecem grandes pormenores sobre a festa, já que discrição tem sido, portanto, a palavra de ordem para os Middleton, mas sabe-se que a equipa de maquilhadora, cabeleireiro e manicura será, precisamente, a mesma que foi chamada para o casamento de Kate, o que parece comprovar a participação desta nos preparativos.
Se para a família real este casamento parece ser tranquilizador quanto ao futuro da irmã da duquesa de Cambridge, para a própria Kate será por certo uma enorme alegria: além de ver a irmã feliz, é provável que a relação das duas vá perdendo gradualmente o constrangimento em que se encontrava até aqui e recupere a simplicidade de outros tempos.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras