Nas Bancas

Príncipe William abalado com a morte de um amigo

Durante uma expedição à Antártida.

CARAS
26 de janeiro de 2016, 11:10

O antigo oficial do exército britânico Henry Worsley, de 55 anos, morreu enquanto tentava atravessar a Antártida sozinho. O britânico queria ser o primeiro a alcançar este feito sem qualquer tipo de assistência e estava a cerca de 48 quilómetros e nove dias alcançar o seu objetivo quando, no passado sábado, dia 23, pediu que o recolhessem e foi internado por exaustão e desidratação, no Chile.
A mulher do explorador, Joanna Worsley, confirmou a sua morte esta segunda-feira, dia 25, esclarecendo que lhe foi diagnosticada uma peritonite bacteriana e que o marido “morreu após falência de vários órgãos”.
Henry Worsley queria angariar cerca de 130 mil euros para o Fundo Endeavour, que ajuda militares feridos ou doentes. E foi precisamente graças a esta causa que conheceu e se tornou próximo do príncipe William de Inglaterra, que apoia a fundação, e também foi um dos patronos da expedição de mais de 1700 quilómetros em condições extremamente rigorosas. “Worsley era um homem de grande coragem e determinação e sentimo-nos orgulhosos por defender as mesmas causas que ele. Mesmo depois de se reformar do exército, continuou a mostrar o seu compromisso com todos os colegas (…) Perdemos um amigo, mas vai continuar a ser fonte de inspiração para todos nós, principalmente para aqueles que vão beneficiar do seu apoio através do Fundo Endeavour”, disse o herdeiro do trono britânico, acrescentando que recebeu a notícia com “imensa tristeza”.
O explorador deixa dois filhos: Max, de 21 anos, e Alicia, de 19.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras