Nas Bancas

Seguindo o exemplo de Diana, Kate põe o filho acima dos protocolos

Regressou a “diplomacia de fraldas”: inseparável de George, tal como era Diana em relação aos filhos, Kate quer levar o bebé com ela nas viagens mais longas, como será a que vai fazer à Austrália e Nova Zelândia.

Redação CARAS
23 de março de 2014, 18:00

Em 1983, o príncipe William fez história, tornando-se o primeiro bebé da família real inglesa a acompanhar os pais numa visita de Estado. O filho de Carlos e Diana tinha apenas nove meses quando estes fizeram uma viagem de seis semanas à Austrália e a princesa de Gales bateu o pé e disse que só ia na condição de levar o bebé, pois não estava disposta a passar tanto tempo longe dele. Iniciava-se, assim, aquilo a que os jornais ingleses chamaram “diplomacia de fraldas”. Porque apesar de quase não ter sido visto, William esteve no centro de todas as conversas, conquistando mais simpatias para a causa monárquica naquele país da Commonwealth do que qualquer campanha saída da imaginação dos mais talentosos propagandistas políticos.
Isabel II não se esqueceu disso e agora, consciente do poder de sedução do seu bisneto George, de sete meses, não levantou grandes obstáculos quando William e Kate lhe fizeram saber que pretendiam levar o filho com eles na sua próxima viagem oficial, que durará três semanas e terá como destino a Austrália e a vizinha Nova Zelândia.
Apesar de ter tido a tarefa facilitada pela luta que Diana travou há três décadas, a duquesa de Cambridge também deu algumas dores de cabeça aos senhores do protocolo. Decidindo ir mais longe, Kate disse que levava o filho para passar com ele tempo de qualidade e, como tal, deixou bem claro que não dormiria longe dele. Foi assim que os res­ponsáveis pela organização da viagem se viram a braços com a tarefa de planear toda a agenda – que será sobrecarregadíssima – de forma a que, durante estas três semanas a percorrer territórios tão vastos, Kate e William regressem sempre a uma “base” de alojamento. Exceção feita quando forem a South Island e a Uluru, regiões demasiado remotas para permitirem o regresso no mesmo dia. Nessas duas noites, George ficará aos cuidados de uma ama contratada de propósito para esta ocasião, pois em Londres a duquesa só quer uma ama em part-time.
Entretanto, para compensar, Kate já prometeu que George aparecerá em público pelo menos uma vez em cada país.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras