Nas Bancas

A vasta descendência assegurada por Isabel II

O filho de William e Catherine, que pode nascer a qualquer momento, é o terceiro na linha de sucessão ao trono.

Ana Paula Homem
22 de julho de 2013, 12:20

À espera do nascimento doseu terceiro bisneto – ou bisneta, pois Kate e William nãoquiseram revelar o sexo do bebé –, a rainha Isabel II de Inglaterra, de87 anos, e o seu consorte, o príncipe Filipe, de 92, não constituíramuma família tão numerosa como, por exemplo, a dos seus trisavós comuns, arainha Victoria e o príncipe Alberto, que tiveram nove filhos. Umvasto clã que Victoria soube “usar” a seu favor – ou seja, de Inglaterra –, urdindoalianças matrimoniais com as principais coroas europeias, de tal forma quetambém descendem diretamente desta união os atuais reis da Bélgica, Dinamarca,Noruega, Espanha e Suécia.
Quando Isabel uniu o seu destino ao de Filipe Mountbatten, em novembro de 1947,tinham passado 107 desde que Victoria se casara com Alberto de SaxeCoburgo-Gotha, seu primo direito (com o qual, curiosamente, formaria um parmuito apaixonado, como o relatam os seus diários). Um século em que asmentalidades mudaram de forma muito radical. Em boa parte devido ao facto demuitas monarquias terem dado lugar a regimes republicanos, os casamentos reaispor conveniência política tinham deixado de fazer sentido. De tal forma queIsabel, então princesa herdeira do trono de Inglaterra, pôde escolher o seufuturo marido, um primo afastado por quem se tomou de amores era aindaadolescente.
A descendência que a atual monarca e o marido asseguraram, pode, ainda assim,ser considerada muito razoável, pois deram ao trono do Reino Unido uma boalista de possíveis herdeiros: quatro filhos – Carlos, Ana, Andrée Eduardo –, oito netos – Peter, Zara, William, Harry,Beatrice, Eugenie, Louise e James – e, até aomomento, duas bisnetas, Savannah e Isla. Se o nascimento de cadaum deles foi vivido em clima de festa pelos britânicos mais fervorosos emrelação à monarquia, os dos que se encontram nos primeiros lugares da linha desucessão foram, naturalmente, celebrados com total euforia.
Isabel ficou grávida três meses depois do casamento. Apesar de sofrer deenjoos, conseguiu manter a notícia dentro das portas de Clarence House, ondeentão residia, até ao início do verão, quando um discreto comunicado da CasaReal anunciou que a partir do final de junho a princesa cancelaria todos osseus compromissos oficiais.
Carlos nasceu às 21h00 de 14 de novembro de 1948, no Palácio de Buckingham,casa dos seus avós maternos, os reis Jorge VI e Isabel (que ficariaconhecida por rainha-mãe).
Apesar de a noite estar fria, no exterior do palácio reunira-se uma multidãoeufórica, que durante três horas cantou e deu vivas ao pequeno príncipe comtanto entusiasmo que por volta da meia-noite os oficiais da Guarda Real tiveramque lhes pedir silêncio, dizendo: “A princesa precisa de descansar.”
O nascimento de um herdeiro, ainda por cima rapaz, num tempo em que a sucessãose fazia por via varonil, foi uma distração que os ingleses, a braços com arecuperação do Pós-Guerra, com taxas de desemprego elevadíssimas e su­jeitos aapertados racionamentos, receberam em verdadeiro clima de festa. No diaseguinte, as fontes de Trafalgar Square, em Londres, iluminaram-se de azul e ossinos repicaram em todas as aldeias, vilas e cidades do reino.
A 15 de agosto de 1950 nasceria a única menina, Ana, a 19 de fevereiro de 1960André, atual duque de York, e a 10 de março de 1964 chegaria o benjamim dafamília, Eduardo, hoje conde de Wessex.
Foi a própria Isabel II que tornou pública a notícia do nascimento do seuprimeiro neto, Peter Phillips. Sempre pontual, no dia 15 de novembro de 1977 asoberana chegou dez minutos atrasada a uma cerimónia de investidura emBuckingham. E foi com um sorriso encantado que revelou o motivo que a tinhadetido: “Peço desculpa pelo atraso, mas recebi uma mensagem do hospital. Aminha filha acaba de ter um rapaz.”
Cumprindo-se a tradição, no dia seguinte seria disparada uma salva de 21canhões na Torre de Londres. Quanto ao resto, tudo foi diferente com este bebé.Nascido do primeiro casamento da princesa Ana, com o então capitão MarkPhillips, foi o primeiro membro da família a vir ao mundo num hospital enão na privacidade palaciana. Foi também o primeiro cujo pai assistiu ao parto.E ainda o primeiro na sua família, em mais de 500 anos, a não receber um títuloreal, por vontade expressa da mãe. Peter ocupou o quinto lugar na linha desucessão entre 1977 e 1982, ano em que o seu primo William nasceu. Osexto lugar desta tabela foi ocupado, entre 81 e 82, pela sua irmã, Zara, quenasceu a 15 de maio de 81.
Carlos e Diana estavam casados há apenas quatro meses quando o Paláciode Buckingham anunciou que iam ser pais. Por essa altura, a princesa de Gales,que tinha apenas 20 anos, já tinha levantado fortes suspeitas de que poderiaestar grávida, quando, numa visita a uma maternidade no País de Gales,exclamou: “Oh! Bebés!”, e pediu para falar com algumas das recentes mãessobre a experiência que acabavam de viver.
Diana enjoou muito durante a gravidez e esteve 16 horas em trabalho de parto,mas nada disso a impediu de manter a sua agenda oficial nem de viver com enormealegria o nascimento do seu primeiro filho, William, no dia 21 de junho de1982, às 21h30, no St. Mary’s Hospital de Londres.
Visivelmente feliz, o príncipe Carlos, que permaneceu ao lado da mulher desdeque ela deu entrada no hospital, às 5h00 da madrugada anterior, veio aoexterior falar com os jornalistas que ali se aglomeravam e declarou: “Sentium enorme alívio quando tudo acabou!” E adiantou: “A princesa está bem eo bebé é adorável. É maravilhoso e porta-se bem!”
Toda a família vibrou com este nascimento. Isabel II, que passava a ter a suasucessão assegurada por duas gerações, disse-se “absolu­tamente encantada”,enquanto a rainha-mãe, na altura já com 81 anos, se sentiu “rejubilante”por voltar a ser bisavó.
A 5 de setembro de 1984 nasceu Harry, que já tinha quatro anos quando o seu tioAndré e a sua tia Sarah Ferguson, casados desde julho de 86, foram paisde Beatrice, a 8 de agosto de 1988. Menos de dois anos depois, a 23 de março de90, esta ganhou uma irmã, Eugenie.
Se o príncipe Carlos sóconstituiu família aos 34 anos, o seu irmão Eduardo ainda o superou: já tinha35 anos quando se casou com Sophie Rhys-Jones, de 34 anos, a 19 de junhode 1999. A duquesa de Wessex teve alguma dificuldade em engravidar, e só quatroanos depois deu à luz Lady Louise. Em dezembro de 2007 nasceu o irmãodesta, James, visconde Severn, oitavo na linha de sucessão ao trono até nascero filho de William.
Isabel II foi bisavó pela primeira vez a 28 de dezembro de 2010, com onascimento de Savannah, filha de Peter e Autumn Philips, que tiveramoutra rapariga, Isla, a 30 de março de 2012. Pouco mais de um ano depois, a soberanaprepara-se para dar colo a mais um bebé da terceira geração da suadescendência. Mas este(a) será, sem dúvida, especial. Porque é aquele(a) que umdia se sentará no secular trono de Inglaterra. Nessa altura, Isabel já terápartido há muito, mas hoje não poderá deixar de imaginar como será esse futurorei. E não terá dúvidas que será em tudo bem diferente dela e dos seusantecessores. Porque se nos seus longos 61 anos de reinado a monarca já viu omundo mudar tanto, forçando-a – de forma mais ou menos voluntária – a enormesadaptações, muito mais inovações se esperam de um Windsor que não nascerá numpalácio, não terá amas de leite nem precetoras particulares. E terá nas
veias 50 por cento de sangue plebeu...

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras