Nas Bancas

Felipe de Espanha recebe prémio de direitos humanos sob o olhar orgulhoso de Letizia

O rei espanhol foi distinguido pelo apoio prestado a vítimas de atentados terroristas.

CARAS
15 de janeiro de 2018, 16:56

Condenar o terrorismo, solidarizar-se com as vítimas, apoiar as famílias: assim tem sido a ação de Felipe VI, proclamado rei de Espanha após Juan Carlos ter abdicado, em 2014, de cada vez que o país se viu atingido pelo terrorismo. Por isso, o monarca acaba de ser distinguido com o Prémio de Defesa dos Direitos Humanos Adolfo Suárez, e tanto ele como a rainha Letizia não podiam estar mais orgulhosos.

"Como Rei, e antes de tudo como pessoa, têm-me sempre ao vosso lado", disse Felipe na hora de receber o galardão entregue pela Fundação de Vítimas de Terrorismo. E foram elas as mais lembradas: "a sua recordação [das vítimas] permanecerá na nossa memória e no nosso coração", reforçou, destacando a superação e a força moral das famílias, sem desejos de vingança.

Enquanto príncipes das Astúrias, Felipe e Letizia viveram um dos momentos mais complicados da história do século XXI espanhol, os atentados à bomba na estação de Atocha, em Madrid, a 11 de março de 2004, dois meses antes de se casarem. Dez anos mais tarde, no ato solene que o aclamou Rei de Espanha, Felipe fez questão de assinalar a data, tal como agora, que passam mais de 20 anos de outro ataque terrorista que chocou a comunidade espanhola - o assassinato do político Miguel Ángel Blanco, às mãos do grupo separatista ETA, em julho de 1997. Mais recentemente, em agosto de 2017, os reis de Espanha voltaram a ver a estabilidade do país ameaçada pelo terrorismo, devido aos atentados na Catalunha.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras