Nas Bancas

Iñaki Urdangarín fica em liberdade

O tribunal não acedeu ao pedido do Ministério Público que pedia prisão imediata ou o pagamento de 200 mil euros.

CARAS
23 de fevereiro de 2017, 15:43

O marido da infanta Cristina de Espanha ficou feliz com o que foi decidido hoje em tribunal, relativamente ao Caso Nóos, no âmbito do qual foi condenado a seis anos e três meses de prisão e ao pagamento de uma multa de 512 553 euros por enriquecimento com dinheiros públicos através de um esquema fraudulento através do Instituto Nóos, que fundou e dirigiu entre 2004 e 2006. O Ministério Público espanhol pedia prisão imediata ou o pagamento de uma caução de 200 mil euros, mas o tribunal decidiu que Iñaki Urdangarín não irá já para a prisão, embora tenham sido tomadas medidas cautelares. O antigo basquetebolista deverá apresentar-se no primeiro dia de cada mês perante as autoridades da sua área de residência, em Genebra, Suíça, e terá de comunicar sempre que queira viajar para fora da União Europeia.
Também o seu ex-sócio, Diego Torres, fica em liberdade condicional. Foi, no entanto, obrigado a entregar o passaporte e está proibido de sair de Espanha. Terá também apresentações mensais perante as autoridades e a obrigatoriedade de comunicar qualquer alteração de residência, ainda que temporária. Recorde-se que para Torres, o Ministério Público pedia uma caução de 100 mil euros para evitar a prisão imediata.
A infanta Cristina também era arguida no processo, por cumplicidade, mas acabou por ser absolvida.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras