Nas Bancas

Infanta Cristina de Espanha

Infanta Cristina de Espanha

Guetty Images

Infanta Cristina terá de sentar-se no banco dos réus

A filha dos reis Juan Carlos e Sofía viu negado o pedido de resolução do julgamento do caso Nóos antes da data prevista. 

CARAS
26 de junho de 2015, 16:14

A Secção Primeira da Audiência Provincial de Palma de Maiorca recusou o pedido apresentado pela infanta Cristina de modo a evitar sentar-se no banco dos réus durante o julgamento do caso Nóos. A filha dos reis Juan CarlosSofía tinha solicitado aos juízes a resolução do caso antes da data prevista para o julgamento e assim aplicar a doutrina Botín - que impede o magistrado de julgar alguém unicamente pelas acusações de ação popular, neste caso da União Mãos Limpas.
O tribunal comunicou ainda às partes que os pedidos apresentados serão apenas resolvidos durante a fase das questões prévias, no início do julgamento, o que quer dizer que Cristina terá de se apresentar na sala, pelo menos nas primeiras audiências.  
A infanta vai ser julgada por cumplicidade nos crimes de fraude fiscal cometidos pelo marido, Iñaki Urdangarín, entre 2003 e 2006, enquanto era presidente do Instituto Nóos.
Tanto a defesa da infanta Cristina como a Procuradoria Anticorrupção alegam que seja aplicada a norma anterior pois, de acordo com a lei espanhola, as pesquisas contra um acusado devem ser arquivadas se o Ministério Público assim o exigir. Recorde-se que a União Mãos Limpas pede oito anos de prisão para a infanta. 

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras