Nas Bancas

Infanta Cristina de Espanha

Infanta Cristina de Espanha

Reuters

'União popular Mãos Limpas' pede oito anos de prisão para a infanta Cristina

A irmã do rei Felipe de Espanha é acusada de ser cúmplice do marido, Iñaki Urdangarín, em vários delitos fiscais.

CARAS
25 de novembro de 2014, 01:02

A União Mãos Limpas, acusação popular no caso Nóos, reclamará uma pena de oito anos de prisão para a infanta Cristina, como cúmplice de delitos fiscais e imprescindível para que o seu marido, Iñaki Urdangarín, pudesse ter desviado um total de 337.138 euros de dinheiros públicos nos anos de 2008 e 2008, segundo avança o jornal El Mundo na sua edição online. Esta acusação será apresentada juntamente com as restantes acusações nos dias 3 e 9 de dezembro, convertendo-se assim na única acusação que pede pena de prisão para a duquesa de Palma.
Para justificar esta petição de oito anos de prisão - quatro por cada um dos delitos fiscais -, esta entidade considera que a irmã do rei Felipe de Espanha incorreu numa agravante, que foi fazer parte da sociedade Aizoon para ocultar a verdadeira identidade dos importos exigidos. Sustentam que a infanta Cristina contribuiu para que o seu marido pudesse fazer-se valer desta empresa 'fantasma' para poder passar facturas, como se de rendimentos de atividades económicas se tratasse.
Por sua vez, o Ministério Público espanhol reclamará à infanta, juntamente com o seu marido, uma fiança de mais de 500 mil euros por ter lucrado parte dos fundos que a Aizoon recebeu de forma ilícita, e que ascendem a mais de um milhão de euros.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras