Nas Bancas

0.jpg

Casa de S.M. el Rey

Rei Juan Carlos: "Hoje merece passar para primeiro plano uma geração mais jovem"

O monarca explicou as razões que o levaram a abdicar do trono a favor do filho, o príncipe Felipe.

Redação CARAS
2 de junho de 2014, 12:58

“Dirijo-me a vós esta manhã através desta mensagempara vos transmitir, com alguma emoção, uma importante decisão e as razões queme levaram a tomá-la.

Quando fui proclamado rei, há quase quatrodécadas, assumi o compromisso de servir os interesses de Espanha, com a vontadede ver os cidadãos como protagonistas dos seus próprios destinos e a nossaNação como uma democracia moderna, plenamente integrada na Europa.

Propus-me então a liderar a emocionante tarefanacional de permitir que todos os cidadãos elegessem os seus representantes elevar até ao fim essa grande e positiva transformação de Espanha de que tanto precisávamos.

Hoje, quando olho para trás, não posso sentir maisnada além de orgulho e gratidão por todos vós.

Orgulho, por todas as coisas boas que conseguimosnestes anos.

E gratidão pelo apoio que me deram para fazer domeu reinado, que começou em plena juventude e em momentos de grandes incertezase dificuldades, um longo período de paz, liberdade, estabilidade e progresso.

Fiel às convicções políticas do meu pai, o condede Barcelona, de quem herdei o legado histórico da monarquia espanhola, quisser rei de todos os espanhóis. Senti-me comprometido com os vossos desejos,festejei com os vossos êxitos e sofri quando a dor e a frustração vos deixaramabalados.

A longa e profunda crise económica que atravessamosdeixou grandes cicatrizes no sistema social, mas também está a mostrar-nos umcaminho cheio de esperança para o futuro.

Estes anos permitiram-nos fazer um balançoautocrítico dos nossos erros e das nossas limitações enquanto sociedade.

E, em contrapartida, também reavivaram a consciênciado que soubemos e sabemos fazer e do que fomos e somos: uma grande nação.

Tudo [o que aconteceu] despertou em nós um desejode renovação, superação, de corrigir erros e de abrir um caminho em direção aum futuro melhor.

A pensar nesse futuro, uma nova geração reclamacom justa causa o papel de protagonista, o mesmo que teve numa altura fundamentalda nossa história a geração a que eu pertenço.

Hoje merece passar para primeiro plano uma geraçãomais jovem, com mais energia, decidida a abraçar com determinação astransformações e reformas que a conjuntura atual pede e a enfrentar comrenovada intensidade e dedicação os desafios de amanhã.

A minha única ambição foi e continuará a sersempre contribuir para o bem-estar e para o progresso e liberdade de todos os espanhóis.

Quero o melhor para Espanha, [o país] a quedediquei a minha vida inteira e ao qual dei todas as minhas capacidades, osmeus sonhos e o meu trabalho.

O meu filho Felipe,herdeiro da Coroa, representa a estabilidade, característica da instituiçãomonárquica.

No passado mês de janeiro, quando completei 76anos, considerei que tinha chegado o momento de preparar em alguns meses aminha sucessão e deixar o lugar a uma pessoa que se encontra em ótimas condiçõesde assegurar essa estabilidade.

O príncipe das Astúrias tem a maturidade, apreparação e o sentido de responsabilidade necessários para assumir a posição deChefe de Estado e para começar uma nova etapa de esperança, na qual secombinarão a experiência adquirida e a vontade de uma nova geração. Tenho acerteza que contará com o apoio da princesa Letizia.

Por tudo isso, convencido de ter prestado o melhordos serviços a todos os espanhóis e recuperado tanto fisicamente como ao nívelda minha atividade institucional, decidi por fim ao meu reinado e abdicar daCoroa espanhola, para que o Governo e as Cortes Gerais possam efetivar asucessão conforme está previsto na Constituição.

Foi isso que comuniquei esta manhã ao presidentedo Governo.

Quero expressar a minha gratidão para com o povoespanhol, para com todas as pessoas que representaram os poderes e asinstituições do Estado durante o meu reinado e para com todos os que meajudaram com generosidade e lealdade a cumprir as minhas funções.

E a minha gratidão à rainha, cuja colaboração egeneroso apoio nunca me faltaram.

Guardo e guardarei sempre Espanha no meu coração”. Foi com este discurso um pouco emocionado que orei Juan Carlos de Espanha explicoua todos os espanhóis os motivos que o levam a abdicar do trono, deixando assimo filho, o príncipe Felipe, reinar.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras