Nas Bancas

Infanta Cristina

Infanta Cristina

Getty Images

Infanta Cristina apresenta recurso

Os advogados da filha mais nova dos reis Juan Carlos e Sofía alegam que o depoimento servia “exclusivamente” para afastar as “dúvidas” levantadas por Diego Torres.

Redação CARAS
17 de abril de 2013, 16:40

A defesa da infanta Cristina de Espanha apresentou ontem em Palma de Maiorca um recurso contra o auto em que o juiz José Castro a indiciava por corrupção no âmbito do caso Nóos. De acordo com a agência EFE, o documento, de 32 páginas, foi entregue pelos advogados Miguel Roca e Jesús María Silva.
O magistrado queria ouvir as declarações da filha mais nova dos reis Juan Carlos e Sofía no próximo dia 27 de abril, mas anulou o depoimento quando a acusação anticorrupção apresentou um recurso. A decisão do juiz foi tomada depois de o fiscal anticorrupção Pedro Horrach lhe ter pedido a suspensão da audiência da infanta, uma vez que considera que não existem elementos incriminatórios que sustentem uma acusação formal contra ela. Apesar da suspensão do testemunho, o juíz José Castro emitiu uma providência cautelar na qual afirma que a duquesa de Palma é representada por Miguel Roca e Jesús María Silva.
Os dois advogados alegam que a “única razão” para a indiciação da infanta Cristina foi, de facto, a declaração de Diego Torres, ex-sócio do seu marido, Iñaki Urdangarín. No documento, a defesa refere ainda que a sua indiciação foi acordada “exclusivamente” para afastar as “dúvidas” levantadas por Diego Torres. Nos e-mails, o ex-sócio de Iñaki Urdangarín tentou mostrar que Cristina estava a par das atividades do marido. “Essas comunicações carecem de relevância para serem levadas como factos que sustentem a acusação”, concluíram os advogados.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras