Nas Bancas

Iñaki Urdangarín: "Venho aqui demonstrar a minha inocência e a minha honra"

O duque de Palma confirmou que o rei Juan Carlos lhe pediu para abandonar o Instituto Nóos.

Redação CARAS
25 de fevereiro de 2012, 17:05

Faltavam poucos minutos paraas 9h00 (hora espanhola), quando Iñaki Urdangarín chegou ao Tribunal deInstrução n.º 3 de Palma de Maiorca, na companhia do seu advogado, MarioPascual Vives. O duque de Palma poderia ter entrado diretamente de carro, masdecidiu fazê-lo a pé, fazendo questão de dirigir-se aos jornalistas. “Venho aqui para demonstrar a minha inocência, a minha honra e a minha atividadeprofissional. Durante estes anos exerci a minha responsabilidade e tomei asdecisões de forma correta e com total transparência”, declarou Iñaki, concluindoainda: “A minha intenção hoje é clarificar a verdade dos factos”.
Durante as mais de três horas em que foi ouvido da parte da manhã, Iñakimostrou-se “muito tranquilo” e as suas declarações foram “lentas e minuciosas”,segundo informaram alguns assistentes. O duque de Palma respondeu a váriasperguntas sobre as várias sociedades com as quais esteve relacionado e queserviram, supostamente, para desviar dinheiros públicos através do InstitutoNóos, do qual foi presidente entre 2004 e 2006.
Um dos momentos mais aguardados foi quando o juiz José Castro lhe perguntou seo rei Juan Carlos lhe tinha pedido, em 2006, que abandonasse a sua atividade noInstituto Nóos, ao que Iñaki respondeu imediatamente que sim. Nesse ano, umassessor da Casa do Rei terá aconselhado o marido da infanta Cristina queabandonasse o instituto e que optasse por procurar outra atividadeprofissional, se possível, fora de Espanha. Algo que os duques de Palmaacabaram por fazer em 2009, quando Iñaki aceitou uma proposta para trabalhar emWashington, na filial da Telefónica.
Iñaki Urdangarín afirmou também que o seu sócio, Diego Torres, é o máximoresponsável pelos atos que estão a ser investigados, assegurando que nunca tevepoder para administrar ou emitir faturas, sendo o seu papel meramenteinstitucional. O duque esclareceu ainda que incluiu os seus filhos e a suamulher, a infanta Cristina, como sócios da empresa Namaste S.L., porque queriaque esta tivesse um carácter familiar.
Depois de mais de três horas de interrogatório, Iñaki almoçou com a infantaCristina no Palácio de Marivent, regressando depois ao tribunal para continuara ser ouvido. O juiz já declarou que pretende que audiência termine ainda hoje,seja que horas forem. Tudo indica que após a audiência o duque de Palma emitiráum comunicado.


Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras