Nas Bancas

Fabíola da Bélgica

Fabíola da Bélgica

Getty Images

Fabíola da Bélgica cria fundação para proteger a sua fortuna

A monarca, de 84 anos, resolveu precaver que os seus desejos serão cumpridos postumamente.

Redação CARAS
10 de janeiro de 2013, 15:50

A rainha Fabíola da Bélgica criou uma fundação para garantir que o seu património é distribuído segundo a sua vontade, depois da sua morte. A monarca e o marido, o rei Balduíno I que morreu em 1993, não tiveram filhos e o objetivo é que, pelo menos uma parte dos seus bens, sejam herdados pelos seus sobrinhos.
A rainha de origem espanhola recebe um subsídio anual, que foi no ano passado de 1,4 milhões de euros e por isso a criação da fundação criou contestação entre a classe política. “Está envolvido dinheiro público”, justificou o líder político de centro-direita Charles Michel ao diário LeSoir para exigir o debate no parlamento da questão.
Não tendo filhos, depois da sua morte, 70% dos seus bens iriam tornar-se património do Estado. Uma questão que fica resolvida com a criação da fundação Fons Pereans para gerir a sua fortuna, cujo conselho de administração da fundação conta com a rainha e mais oito membros.
Nos estatutos da fundação estão definidos os seguintes objetivos: apoiar economicamente a família da rainha Fabíola (por um período limitado de tempo e sob condições que o justifiquem), promover as conquistas históricas e culturais dos reis Balduíno e Fabíola, apoiar a fundação Astrida, fundada pelo rei pouco antes da sua morte, e colaborar com várias instituições católicas.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras