Nas Bancas

Rainha de Inglaterra sobreviveu a uma tentativa de homicídio

Caso remonta a 1981 e os documentos que provam esta informação foram agora revelados.

CARAS
1 de março de 2018, 14:36

A longevidade da rainha Isabel II ganhou novos contornos agora que se descobriu que, em 1981, a monarca sofreu uma tentativa de homicídio. O autor do crime é Christopher Lewis, um jovem que tentou roubar a vida à rainha durante a visita a Dunedin. O caso remonta a outubro de 1981 e, de acordo com a Reuters, o jovem, que na altura tinha apenas 17 anos, disparou contra Sua Majestade quando esta participava numa feira de ciências durante uma visita de oito dias à Nova Zelândia. De acordo com os documentos agora conhecidos, “Lewis, pretendia assassinar a rainha. Contudo, não tinha um alvo adequado de onde disparar, nem uma arma suficientemente potente para alcançar o alvo”.

Informações adicionais, presentes num segundo memorando, revelam que a situação foi tratada de forma ponderada, com investigações policiais a decorrer de modo sigiloso. Calcula-se até que os representantes de órgãos de comunicação social presentes não se tenham apercebido da origem do ruído do disparo.

Apesar de, à época, ter sido descrito como um jovem perturbado, Christopher nunca chegou a ser formalmente acusado de tentativa de homicídio, mas apenas de posse ilegal de arma e de descarga com arma de fogo. Depois desse episódio, já em idade adulta, foi responsável pelo assassinato de uma mãe e o sequestro da sua respetiva filha. Enquanto aguardava por julgamento na prisão, Christopher pôs fim à sua própria vida.

Apesar da gravidade do caso, esta não é a primeira vez que a família real inglesa vive uma situação semelhante. Recorde-se que em 1994, o príncipe Carlos visitava Sydney, na Austrália, quando um homem disparou duas vezes e invadiu posteriormente o palco quando o príncipe de Gales se preparava para fazer um discurso. Carlos nunca mencionou o caso e até existe a crença de que o homem, David Kang, não pretendia magoá-lo, mas apenas protestava contra a situação dos cambojanos que haviam requerido asilo.

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras