Nas Bancas

Novo rei da Tailândia, uma figura controversa

Com a morte do pai, o príncipe herdeiro Maha Vajiralongkorn foi indicado como sucessor, mas pediu para ter quatro dias de reflexão antes de aceitar o cargo.

CARAS
14 de outubro de 2016, 15:06

Tem 64 anos, chama-se Maha Vajiralongkorn e quando olhamos para ele podemos ter alguma dificuldade em acreditar que será o novo rei da Tailândia. O príncipe herdeiro viveu muitos anos fora do país e não é uma figura consensual, mas com a morte do pai, o rei Bhumibol Adulyadej, esta quinta-feira, dia 13, é o sucessor natural ao trono.
Recentemente, Maha Vajiralongkorn foi fotografado no aeroporto de Munique com um top de alças, que lhe deixava as exuberantes tatuagens falsas a descoberto, barriga à mostra e umas calças de ganga de cintura baixa. Não fosse o aparato à sua volta – seguranças, motorista e carros de alta cilindrada –, ninguém diria que pertence à realeza e muito menos que faz parte da família real de um país extremamente conservador.
Contrariamente ao pai, que esteve no trono durante 70 anos e era elogiado pelos tailandeses pelo seu comportamento exemplar e a sua sensatez, o herdeiro do trono é conhecido e criticado pela sua rebeldia, pelos inúmeros casos amorosos e por ser violento com as mulheres. Uma das decisões de Vajiralongkorn que mais deu que falar foi o facto de ter nomeado o seu cão preferido, um caniche chamado Foo Foo, tenente-general da força aérea e de o levar a receções oficiais fardado a rigor. O animal morreu no ano passado e foi-lhe feito um funeral com todas as honras que durou quatro dias.
Contudo, a maior parte das histórias relativas ao possível sucessor do rei Bhumibol Adulyadej são desconhecidas no país, pois existem leis que proíbem os meios de comunicação de publicar histórias que possam ser consideradas difamatórias para a família real. Sabe-se, no entanto, que o casamento com a sua primeira mulher, sua prima, terminou após se descobrir que tinha uma amante, com a qual tinha cinco filhos. A união terminou, casou-se com a amante, que acabou por abandonar mais tarde, obrigando-a a deixar o país. A terceira mulher, a princesa Srirasmi, antiga empregada de balcão, também foi expulsa do palácio quando começaram a desentender-se e o príncipe ordenou que os seus pais fossem recentemente condenados a dois anos e meio de prisão por alegada “difamação à família real”.
A princesa Maha Chakri Sirindhorn, filha mais nova do rei Bhumibol Adulyadej, seria uma escolha mais consensual para os tailandeses, mas as leis em vigor no país proíbem que uma mulher suba ao trono.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras