Nas Bancas

Plateia de ilustres aplaude aventura literária de Charles-Philippe d’Orléans

O príncipe contou com o apoio de familiares e amigos na apresentação do seu mais recente livro.

Marta Mesquita
23 de outubro de 2011, 15:43

Fotos:Nuno Miguel Sousa

Depois de um ano e meio de muitas pesquisas e entrevistas, o príncipe Charles-Philippe d’Orléans apresentou o seu mais recente livro, Reis no Exílio – Portugal Refúgio Real, no Palácio Estoril Hotel & Golf. Perante uma plateia repleta de familiares e amigos, nomeadamente a sua mulher, Diana de Cadaval, e o seu pai, o príncipe Michel de France, o autor falou desta incursão literária que o levou a partilhar a história de muitas famílias reais que fizeram de Portugal a sua casa durante a Segunda Guerra Mundial e os anos que lhe sucederam. “O mais difícil na concretização deste livro foi ter de cortar muita informação, porque encontrei tantas histórias para contar que podia fazer uma enciclopédia. Tive de ficar com o melhor do melhor. O mais engraçado foi escrever sobre a minha família, os meus avós, o meu pai e os meus tios. E aí torna-se tudo mais difícil, porque não posso deixar ninguém triste e tenho de ser muito factual. Queria contar mais histórias da minha família, mas tive de dar o mesmo espaço às oito famílias das quais falo”, explicou o autor.
Visivelmente feliz pelo sucesso do marido, Diana de Cadaval, que está grávida de cinco meses, partilhou com a CARAS como é que acompanhou este desafio literário de Charles-Philippe: “A preparação deste livro foi uma fase muito gira. Acompanhei-o muito quando ele começou a pesquisa e encontrou várias fotografias de família que estavam em arquivos privados. Foi muito engraçado perceber a vida de todos os dias destas famílias reais que viviam em Portugal.” Nesta ocasião, a es­critora falou ainda de como está a viver esta fase tão especial da sua vida, a apenas quatro meses de ser mãe pela primeira vez: “A gravidez está a correr lindamente, tem sido um sonho. Sinto-me muito bem, não tenho parado e tenho continuado com as minhas obras de caridade, com a divulgação do meu livro e com as atividades do Palácio de Cadaval. O bebé nasce em fevereiro e ainda não sei se é menina ou rapaz. E se calhar não vamos saber. Não é uma prioridade para nós sabermos o sexo do bebé. Só queremos que tudo corra bem em todas as etapas.”

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras