Nas Bancas

John Galliano

John Galliano

Getty Images

John Galliano pede desculpa pelo seu comportamento

O estilista vai iniciar um programa de reabilitação depois das declarações polémicas que foram feitas nos últimos dias.

Joana Carreira
4 de março de 2011, 12:28

Depois de todo o escândalo à sua volta, John Galliano decidiu pedir desculpa pelas declarações anti-semistas e racistas reproduzidas pelo diário britânico The Sun, onde o estilista declarava amar Hitler. No comunicado divulgado pelos seus advogados, o ex-diretor criativo da Casa Dior afirma que "o racismo e a conduta anti-semita não têm lugar na nossa sociedade".

A acusação

John, de 50 anos, desculpa-se "sem reservas" pelo seu comportamento e nega todas as acusações que lhe foram feitas, tendo mesmo afirmado que vai "colaborar na investigação policial".
O designer de moda está acusado pela procuradoria francesa por insultos anti-semitas e racistas numa pena que poderá chegar aos seis meses de prisão e o pagamento de uma multa de 22'500 euros. Galliano terá que apresentar-se em tribunal "durante o segundo trimestre de 2011", adiantou a procuradoria em comunicado.

"Desde os acontecimentos da última quinta-feira à tarde estive impossibilitado de fazer qualquer comentário público sobre o que aconteceu por conselho do meu advogado francês. Contudo, devido aos contínuos atrasos da procuradoria francesa eu tenho de esclarecer a minha posição", pode ainda ler-se no referido comunicado.

A clínica de reabilitação

Entretanto, o criador britânico deixou a França para ingressar numa clínica de reabilitação no Arizona, Estados Unidos, avança o jornal The New York Times. Galliano quer travar os seus problemas com o álcool e decidiu aceitar os conselhos dos seus amigos, como as modelos Kate Moss e Naomi Campbell.

Recorde-se que a Dior decidiu suspender o estilista do seu cargo de diretor criativo depois de virem a público as declarações anti-semitas e racistas de Galliano a um casal no bairro judeu do Marais, em Paris. Já quando o The Sun divulgou o vídeo onde o excêntrico estilista afirma "eu amo Hitler", visivelmente embriagado, a Casa Dior pôs um ponto final na parceria com o criador.´

Apesar de toda a polémica, a coleção desenhada por John Galliano para a Christian Dior será hoje apresentada em Paris, no museu Rodin, no âmbito da Semana da Moda de Paris. Já as propostas do criador para a sua própria marca não pisarão a passarela do evento de moda no próximo domingo, tal como estava previsto.

*Este texto foi escrito nos termos do novo acordo ortográfico.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras