Nas Bancas

Tó Romano lança-se numa aventura cheia de cor para mudar Portugal

Mi, a mulher do antigo manequim, foi a primeira a conhecer 'Eva Dream', livro em que Tó Romano partilha o seu sonho.

Andreia Guerreiro
21 de novembro de 2009, 18:42

Durante vários anos, Tó Romano sonhou com a ideia de mudar uma pequena aldeia, perto da Figueira da Foz. Era um local feio, sem alegria, e Tó queria ir para lá e, juntamente com os habitantes, encher de flores, cor e felicidade aquela localidade. Esta ideia não se concretizou, mas os treze anos que se passaram desde então não esmoreceram o sonho, que um dia contou a um amigo. E, alguns meses depois dessa conversa, o antigo manequim, hoje director da Central Models, decidiu partilhar com os portugueses essa vontade de tornar Portugal um país mais bonito. E nasceu o livro Eva Dream.

Tó Romano e Ana Salazar
Tó Romano e Ana Salazar
Catarina Larcher
"É um sonho que fala, acima de tudo, de amor, de afectos e de flores. Em 2009, vejo o País com muitos défices, sendo que o que mais me custa é o défice de afectos. Contei esse sonho ao meu amigo João Murillo, que ficou entusiasmado com a história da aldeia florida e me disse para avançar com isso. Ele disse-me que o meu sonho podia ser o embrião para mudar Portugal, porque podia transmitir para as cidades aquilo que queria para a aldeia. E a possibilidade de concretizar esse sonho foi avassaladora. Durante três meses, dormi três horas por noite, fui até ao limite das minhas resistências físicas e mentais. E tive a consciência de que tinha de partilhar o meu sonho com os portugueses, porque esta ideia não se pode concretizar pelas mãos de um homem só. Este projecto pode criar muitas situações de estar bem e de bem-estar, e estou convencido de que este sonho pode pôr os portugueses a remar na mesma direcção"
, explicou o director da Central Models.


Raquel Prates e João Murillo
Raquel Prates e João Murillo
Catarina Larcher
Neste livro, que foi apresentado no Palacete Tivoli, em Lisboa, Tó Romano propõe aos portugueses encherem as suas varandas de flores, para não se esquecerem de que a vida pode ser uma experiência colorida. Para além deste apelo colectivo, conta vários episódios da sua vida que podem inspirar quem os ler a serem felizes. Um dos
"slides"
deste livro conta como foi o momento em que viu
Mi
pela primeira vez, em 1982, no Porto. O antigo manequim estava a falar com amigos quando passou por eles a actual mulher. E disse aos outros:
"Vocês desculpem-me, tenho que ir, acabou de passar por mim a mulher da minha vida!"
Mi, que tem sido a pessoa com quem Tó tem partilhado as alegrias da sua vida, retribuiu o elogio, dizendo:
"Realmente, sinto-me uma pessoa superfeliz, porque acertei mesmo no homem. [risos] É bom uma mulher, com o passar dos anos, pensar: 'Não me enganei, foi bem escolhido.' O Tó ensinou-me que a felicidade tem de ser partilhada."

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras