Nas Bancas

Sertã: Entre o xisto e a floresta

Uma sugestão 'Boa Cama Boa Mesa'.

CARAS
8 de maio de 2016, 17:00

O verde do pinheiro bravo domina a paisagem e acompanha o visitante durante quase todo o percurso até esta vila localizada quase no centro de Portugal. Sente-se o fresco e os aromas da natureza mal se avista a localidade, espalhada por um vale e adornada por duas límpidas e convidativas ribeiras que correm com vagar até à foz.
Reza a história que a Sertã já seria conhecida na época dos romanos e basta percorrer as suas ruas estreitas, mas bem cuidadas, para perceber que ali se respira História e património. O castelo, de cinco quinas e raro em Portugal, terá sido edificado pelo general romano Sertório, no ano de 74 a.C., e serve de cenário à lenda da Celinda, uma mulher de várias valências que expulsou os invasores com recurso a uma frigideira, na altura chamada sertage, com azeite a ferver.
Percorra as margens verdejantes das ribeiras, atravesse a histórica ponte da Carvalha, construída durante o domínio Filipino, no século XVII, e deslumbre-se com o magnífico restauro do Convento da Sertã, rodeado por frondosos jardins e hoje transformado em hotel.
No tempo quente, a praia fluvial da Sertã, no centro da vila, é perfeita para refrescantes mergulhos. Em plena ribeira da Sertã pode contar com o isolamento, a paz e com convívio com a natu­reza, na praia do Troviscal, junto à ponte com o mesmo nome. Se a opção for mais radical, na praia fluvial do Trízio, nos arredores, pode praticar atividades aquáticas na albufeira formada pelas águas do Zêzere.
Nenhuma viagem ficará completa sem provar o bucho e os maranhos feitos como manda a tradição. E para que a visita termine de forma doce, prove os deliciosos cartuchos de amêndoa de Cernache do Bonjardim.
A NÃO ESQUECER:
Como chegar: Pela A1, seguir até à saída para a A23 em direção a Castelo Branco. Apanhe depois a N2 em direção a Vila de Rei e depois a N241.
Onde dormir: No magnificamente restaurado Convento da Sertã Hotel, que num ambiente histórico proporciona todas as comodidades contemporâneas (Tel.: 274608493) ou no agradável turismo rural do Casal da Cortiçada (Tel.: 918097652).
Onde comer: Perto da ponte filipina, o restaurante Ponte Velha serve os melhores maranhos e o bucho regional. Prove a sopa de peixe da D. Helena, vencedora de prémios (Tel.: 274600160).

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras