Nas Bancas

Salamanca: Uma cidade dourada e culta

Uma sugestão do 'site' 'www.spain.info'.

Redação CARAS
2 de fevereiro de 2014, 13:00

A escassos 117 quilómetros da fronteira portuguesa, na província autónoma de Castilla y Léon, no centro de Espanha, Salamanca é uma encantadora cidade monumental que possui não uma, mas duas catedrais, 23 igrejas, cinco conventos, várias casas monumentais, muitos museus interessantes e uma imponente ponte romana sobre o rio Tormes.
Uma visita a Salamanca, cidade dourada, graças à pedra de arenito usada nas construções mais antigas, pode – e deve – ser feita a pé, pois os seus pontos de interesse estão todos perto uns dos outros, no centro histórico, classificado Património da Humanidade pela Unesco em 1988, e que se desenvolve a partir da sua belíssima Plaza Mayor, considerada uma das mais belas de Espanha.
Construída no séc. XVIII, em estilo barroco, a Plaza Mayor, que é emoldurada por uma galeria com 88 arcos, é o melhor ponto de partida para a descoberta da cidade, mas também um ponto de regresso obrigatório para picar unas tapas numa das muitas esplanadas que nela proliferam. E para aceder às calles Toro e Zamora, centro nevrálgico do comércio.
Começando pela Casa das Conchas, emblemático exemplar da arquitetura civil gótica que hoje alberga uma biblioteca pública, e passando pela Universidade Pontifícia (colégio de jesuítas fundado no séc. XVII) e pela sua vizinha Igreja de La Clerecía (se quiser desfrutar da belíssima vista panorâmica sobre a cidade, suba a uma das suas torres), depressa se chega ao verdadeiro coração da velha Salamanca: a Univer­sidade, com os seus vários colégios. Confirmada oficialmente em 1254 pelo rei Alfonso X, é a mais antiga da Península e uma das mais antigas da Europa. E continua, com os seus estudantes, a ser responsável pela animação, tanto diurna como noturna, da cidade, cuja movida é famosa.
Logo ao virar da esquina, chega-se à ‘dupla’ catedral: a velha, edifício românico construído nos séc. XII e XIII, e que se tornou pequena demais quando a cidade aumentou por ‘culpa’ da uni­versidade, está ‘colada’ com a nova (estão mesmo ligadas por dentro), erigida no séc. XVI, num gótico tardio típico do renascimento espanhol.

A NÃO ESQUECER:
Como chegar: Da fronteira de Vilar Formoso (Guarda), seguir pela A62, que passa pela encantadora Ciudad Rodrigo (se puder, faça uma paragem) e vai direta a Salamanca.
Quando visitar: Qualquer época do ano é boa para visitar Salamanca, desde que se tenha em atenção que os invernos são frios, frequentemente com temperaturas negativas, e os verões quentes, com temperaturas que ultrapassam os 30 graus. No verão, milhares de estudantes enchem a cidade, atraídos pelos cursos de espanhol para estrangeiros da famosa universidade local. No resto do ano, a cidade é palco de diversos eventos culturais e gastronómicos.
Onde comer e dormir: A cidade tem uma vasta oferta de hotelaria e restauração para todos os preços. Em termos gastronómicos, além das tradicionais “tapas”, destaque para os enchidos e presuntos. O Gran Hotel Don Gregorio, um cinco estrelas que nasceu em 2010 num palácio do séc. XV em pleno centro da cidade, a um minuto da Plaza Mayor, proporciona todo o conforto e beleza para uma estada inesquecível.

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras