Nas Bancas

Picos da Europa: Férias 'alpinas' aqui tão perto

A cadeia montanhosa atravessa três províncias espanholas e é uma boa alternativa aos Pirinéus e aos Alpes.

Gabriel Mendes
19 de dezembro de 2013, 13:17

Relativamente perto da fronteira portuguesa, os Picos da Europa são uma excelente alternativa a destinos de neve como os Pirenéus e os Alpes, tendo ainda a grande vantagem de serem mais baratos.
Apesar da proximidade do mar, esta cadeia montanhosa, que abrange três províncias espanholas – Astúrias, Cantábria e Castela e Leão – tem um clima de montanha e algumas das mais belas aldeias de montanha da Península Ibérica.
Com picos acima dos 2500m, o Parque Nacional dos Picos da Europa é um verdadeiro refúgio natural, um dos últimos locais da Europa onde ainda vivem ursos, lobos e outros animais emblemáticos, como o rebeco, o símbolo da região.
O ponto de partida para a maioria dos visitantes é Cangas de Onís, vila medieval de grande oferta turística, perfeita como base para o resto da viagem, enquanto se prova a tradicional cidra asturiana e se petisca um queijo cabrales.
Rumando à montanha, e se o tempo ajudar, a incontornável Ruta del Cares não deve ser perdida. Este é um dos mais famosos percursos pedestres espanhóis e liga Puente Poncebos a Posada de Vadeón, passando pela pitoresca aldeia de Bulnes, um lugarejo de pouco mais de 20 habitantes, apenas acessível por caminhos pedestres ou por um funicular. Para os mais destemidos, o ponto alto é a subida ao pico Urriel (também chamado Naranjo de Bulnes), um santuário para alpinistas e não só, acessível por um trilho que sobre até à base do pico de 2500 metros.
Imperdíveis nos Picos da Eu­ropa são também o Santuário de Covadonga, os lagos de Enol e Ercina e o teleférico de Fuente Dé. Além disso, por toda a cordilheira existem pequenas vilas de casas de pedra que ganham uma aura especial com a neve, várias delas com estâncias de esqui com diferentes níveis de dificuldade.

A NÃO ESQUECER:
Como chegar: A Easyjet tem voos de Lisboa para o aeroporto das Astúrias. A cordilheira está a cinco horas de carro do Porto e a oito horas de Lisboa.
Quando visitar: O inverno pode deixar inacessíveis alguns locais, mas as principais localidades possuem limpa-neves em caso de nevões. Opte pela primavera se o objetivo forem os percursos pedestres.
Onde dormir: As maiores vilas, como Cangas de Onís, têm uma grande oferta de hotéis. Se preferir o turismo rural ou de habitação opte por pequenas aldeias de montanha, como Bulnes.

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras