Nas Bancas

Espanha: Província de Cáceres

Natureza e património.

Redação CARAS
2 de junho de 2013, 15:00

Se há uma coisa em que os visitantes da província de Cáceres, na Extremadura espanhola, estão de acordo é que se trata de uma das mais belas e surpreendentes regiões do país vizinho. A sua grande extensão está marcada pela riqueza e diversidade da paisagem natural e por um rico património que vai dos vestígios pré-históricos, como a Cueva de Maltravieso, em Cáceres, ou os Dólmenes de Valência de Alcântara, a testemunhos da romanização em Cáceres, em Guijo de Granadilla ou em Alcântara, onde existe uma espetacular ponte romana, ou da presença muçulmana, a monumentos góticos, renascentistas e barrocos.
Em termos de arquitetura religiosa, destaque para o Real Mosteiro de Guadalupe, o centro de devoção mariano mais importante da Extremadura e Património da Humanidade, o Mosteiro de Yuste, na Vera, lugar de descanso do Imperador Carlos V e declarado Património Europeu, o Convento de São Benito de Alcântara ou as catedrais de Plasencia e Coria.
Quanto à arquitetura monumental, tem o seu maior expoente na cidade de Cáceres, declarada Património da Humanidade, assim como em Trujillo e Plasencia. Já no que diz respeito à arquitetura tradicional, está presente em conjuntos históricos de grande beleza como Valverde de la Vera, Cabezuela del Valle, ou La Puebla de Guadalupe. Muitas destas casas, construídas com pedra, barro e madeira, estão hoje convertidas em pitorescos e acolhedores alojamentos rurais.
A nível cultural, a região tem para oferecer iniciativas como os festivais da Máscara Ibérica e de Teatro Clássico de Alcântara ou o WOMAD, certame de música, arte e dança do mundo, e uma grande variedade de festejos, nomeadamente a Semana Santa cacerenha, declarada de Interesse Turístico Internacional, ou a Festa das Cerejeiras, em Florou.
Quanto a belezas naturais, a província de Cáceres tem para oferecer a quem a visita bosques frondosos, impressionantes gargantas, reservas naturais e uma trintena de zonas de especial proteção de aves.

 A NÃO ESQUECER:
Como chegar: De Lisboa siga pela A6 até Badajoz e aí entre na EX-100 até à cidade de Cáceres.
Onde ficar: Muitos edifícios nobres do século XIV ou antigas casas de campo do século XVII têm vindo a transformar-se em luxuosos hotéis de cinco estrelas ou Paradores de Turismo, como é o caso do Parador de Caceres, situado num palácio de pedra do século XIV (mais informações em www.turismocaceres.org).
O que comer: As especialidades desta região incluem pratos tradicionais como o pernil de cordeiro assado e lombo de porco ibérico, e a cozinha conventual, com destaque para os pratos de caça.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras