Nas Bancas

Croácia: Dubrovnik

O esplendor da ‘Pérola do Adriático’.

Gabriel Mendes
5 de maio de 2013, 14:00

A costa croata da Dalmácia há muito que desperta a curiosidade de visitantes de todo o mundo. A costa recortada de ilhéus inexplorados, o mar de um azul idílico, as vilas medievais intactas e a hospitalidade dos croatas são alguns dos atrativos da região. É na terra dos dálmatas que se situa Dubrovnik, uma cidade de história secular, o único burgo que rivalizava com Veneza em todo a região mediterrânica no apogeu das Cidades-Estado.
Dubrovnik é uma das mais belas cidades amuralhadas euro­peias e Património Mundial desde 1979. Apesar de, entre 1991 e 1995, ter sofrido consideráveis danos na luta pela independência croata, Dubrovnik recuperou de forma notável, sendo hoje o principal destino turístico do país.
O principal motivo de interes­se é a muralha, com quase dois quilómetros no total e erigida junto ao mar. A restante visita tenderá a centrar-se no interior das muralhas, onde se encontram outras atrações: a igreja de Sveti Blaž, a Placa Stradun (a principal rua de comércio), o Palácio Sponza, a torre Minšeta e o Porto Velho.
Quem procura a praia não sairá desiludido. E existem duas opções: ou a praia ao lado do porto, a concorrida Lapad, ou uma ida até à esplêndida ilha de Lokrum, a 10 minutos de ferry. Ao largo de Dubrovnik, Lokrum é uma reserva natural com um jardim botânico, um mosteiro, uma lagoa interna, trilhos de floresta e, claro, pequenas praias de seixos arredondados e mar translúcido. Várias delas são de cariz naturista.
Se o tempo não for um problema, a poucos quilómetros de Dubrovnik as cidades de Split (Croácia), Mostar (Bósnia) e Harceg Novi (Montenegro) são imperdíveis. Há ainda passeios de barco para as ilhas adjacentes. A Pérola do Adriático é um ex­celente ponto de partida!

A NÃO ESQUECER:
Como chegar: Dubrovnik tem um aeroporto internacional, com ligações (sobretudo ‘low-cost’) às principais capitais europeias, mas nenhuma para Portugal. O comboio, vindo de Zagreb, segue apenas até Split. A opção mais cénica é alugar carro e fazer toda a costa adriática.
Quando visitar: O clima é mediterrânico. Apenas o inverno é um pouco mais frio e chuvoso. Da primavera ao outono é de esperar tempo agradável, apesar de frequentes tempestades passageiras.
Onde dormir: A oferta é imensa, desde o campismo (destaque para o Solitudo), passando pelas ‘guesthouses’ familiares e modernos ‘hostels’, até aos luxosos hotéis apalaçados. Cerca de metade dos hotéis de cinco estrelas da Croácia localizam-se aqui.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras