Nas Bancas

Veneza: Uma cidade para apaixonados

A cidade é Património da Humanidade da Unesco.

Paulo Petronilho
7 de abril de 2013, 15:00

Património da Humanidade da Unesco, Veneza é, certamente, uma das mais belas cidades do mundo. Com 177 canais, 400 pontes e 118 ilhas, Veneza é, sobretudo, uma cidade diferente: uma cidade sem carros, onde todo o movimento se faz de barco ou a pé pelas ruelas estreitas entre os canais; onde polícia, bombeiros e médicos de urgência se deslocam de barco.
Diferente, também, porque parece que parou no tempo e estamos na Idade Média ou no Renascimento, olhando para as suas casas, praças e igrejas centenárias. Diferente, ainda, pelo clima, pois muitas vezes, devido às chuvas e subida das marés, a cidade fica submersa e difícil de visitar.
Por tudo isto, perca-se pelas ruelas estreitas, ande de vaporetti (os barcos de transporte públi­co), táxi-barco ou gôndola e visite os vários museus antigos e modernos que existem. Aprecie os palácios e basílicas nas margens do Grande Canal e as praças, sobretudo a de S. Marcos, em cujas arcadas pode fazer compras de todo o género, com destaque para as lojas de vidro de Murano e onde não deve deixar de beber um magnífico expresso no Caffè Florian, inaugurado em 1720 e considerado o mais antigo do mundo.
Com o Festival de Cinema, a Bienal de Arte e o famoso Carnaval e as suas máscaras, entre outras manifestações artísticas, a cidade dos Dodges é um dos maiores polos culturais da Europa. Mas Veneza é, sobretudo, uma cidade para apaixonados. Se está a pensar numas férias a dois, não hesite, este é o seu destino.

A NÃO ESQUECER:
Como ir: A TAP voa diariamente para o Aeroporto Marco Polo, na Veneza continental. Depois de sair do edifício siga as indicações para o cais (7 minutos a pé) onde pode apanhar o ‘vaporetto’ ou o táxi-barco (mais caro) que o leva até às ilhas de Veneza.
Onde ficar: No Hotel Carlton Grand Canal, a meio caminho entre o aeroporto e a Praça de S. Marcos.
Quando ir: Na primavera ou no outono, há menos turistas, menos calor e menos chuva. Veneza é uma cidade cara, um passeio de gôndola custa 80 euros e é difícil comer por menos de 25 euros.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras