Nas Bancas

Papua Nova Guiné: Sepik

O paraíso é aqui.

Nuno Lobito
26 de novembro de 2011, 19:27

A Papua Nova Guiné foi descoberta por navegadores portugueses, em 1511, tendo sido administrada por alemães, holandeses, ingleses e australianos, até obter a sua independência, em 1975. Os papuas são um povo muito afável e hospitaleiro e a minha visita a este país longínquo levou-me a um mundo de tradições fascinantes, mergulhadas numa envolvente natural única.
As águas quentes e cristalinas são abundantes em espécies tropicais de cores vibrantes e escondem verdadeiros tesouros biológicos. Os arquipélagos situados a leste da ilha são constituídos por terrenos elevados, de origem vulcânica, rodeados por uma faixa de formações coralinas, o que promove a proliferação da fauna marinha. As ilhas encerram praias paradisíacas à espera de serem exploradas. As areias douradas convidam a preguiçar e o tom turquesa do mar faz-nos acreditar que descobrimos os jardins do Éden.
Sepik é, provavelmente, a região mais deslumbrante da Papua Nova Guiné, com várias ilhas, uma longa e pitoresca costa, repleta de praias resplandecentes, e povoações ecléticas. Para os amantes do turismo de aventura, a região de Chimbu oferece a possibilidade de fazer rafting no rio Wahgi, visitar cemitérios subterrâneos, onde descansam os guerreiros do passado, ou fazer uma excursão à montanha mais alta do país, Wilhelm. Madang, na costa oriental norte, é considerada a cidade mais bonita do Pacífico Sul.
Situada numa região com vulcões em atividade, possui ainda um precioso legado cultural, patente no museu local, numerosos parques e um colorido mercado.

A NÃO ESQUECER:
Como ir: Com a KLM até Jacarta, via Amsterdão. Depois, até Port Moresby, pode viajar com a Qantas.

A não perder: Ilhas orientais; Madang.

Capital: Port Moresby.

Moeda: Kina (1 euro são 3,45 PGK)

Clima: Tropical, com monções a norte de dezembro a março e no sul de maio a outubro. Pequena variação de temperaturas ao longo do ano.

Diferença horária: GMT+10h

Informações úteis: É necessário visto, que deve ser obtido antes da partida, através do Alto Comissariado da Papua Nova Guiné em Londres. Ao deixar o país, é exigido o pagamento de uma taxa de 10 a 15 kinas. Não existe representação diplomática portuguesa na Papua Nova Guiné, sendo os assuntos acompanhados pela Embaixada de Portugal em Camberra, Austrália. Aconselha-se a vacinação contra a hepatite A, a tuberculose e a febre tifóide.
 

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras