Nas Bancas

O vulcão Concepción

O vulcão Concepción

Julio S. Pereira

Nicarágua - Ilha Ometepe: Ilha de vulcões no meio do lago

"Quando se põe um pé em terra é-se largamente recompensado do eventual susto e incómodo da viagem"

Andreia Guerreiro
8 de julho de 2009, 13:08

Grande como um mar e como ele revolto em dias de temporal, quando a água escurece de meter medo, o lago Nicarágua ocupa uma larga extensão do sudoeste do país e é o maior lago de toda a América Central. A ilha de Ometepe é a jóia que o enfeita, mas, para lá chegar, há que desafiar as ondas encapeladas pelo vento num velho barco de madeira que, de tão carregado com passageiros e carga, faz a viagem com o bordo a rasar a água. Quando se põe pé em terra, no entanto, é-se largamente recompensado do eventual susto e do incómodo da viagem.

Ometepe é resultado da união por um istmo de terra de dois vulcões - Concepción e Maderas - que emergiram das águas na sequência de sucessivas erupções, a última das quais em 1957, visíveis de quase qualquer lugar da ilha. Mas a nossa atenção estará quase de certeza centrada na descoberta dos bandos de macacos uivadores que ocupam os ramos das árvores e que, especialmente ao fim da tarde e ao amanhecer, fazem ecoar pela floresta intermináveis concertos de uivos guturais.

A ilha é salpicada de pequenas praias de areia acastanhada e algumas das pousadas onde se pode pernoitar têm a sua própria praia. Uma dúzia de aldeias, onde se sobrevive à base de agricultura e pesca, espalha-se pelo litoral, dado que o interior, constituído pelos cones dos vulcões, é praticamente desabitado. Um dos modos habituais de deslocação na ilha é a cavalo, sendo, portanto, vulgar cruzarmo-nos com cavaleiros que, com as suas montadas arreadas de belas selas de couro trabalhado, parecem saídos de algum filme de vaqueiros.

Quem se sinta com energia e disposição para tal, poderá contratar um guia numa das aldeias e experimentar escalar o vulcão Concepción, de onde se podem desfrutar deslumbrantes panoramas de toda a ilha. Mas quem queira apenas dar agradáveis passeios pelo meio da floresta, observar os animais selvagens e tomar banhos no lago ou estender-se ao sol numa das muitas praias, tem também muito por onde escolher neste paraíso ecológico parado no tempo.

A não esquecer

Como ir: Da capital, Manágua, é possível apanhar um autocarro até à cidade de Rivas. Daí, dez minutos de táxi levam-nos à pequena aldeia de San Jorge, de onde partem os barcos para Ometepe.

Documentação: Passaporte válido.

Quando ir: Os meses de Dezembro e Janeiro, início da estação seca, são os melhores para visitar a zona da costa pacífica da Nicarágua.

O que fazer: Passear pelo meio da floresta, especialmente na Reserva de Charco Verde, observar os animais selvagens e descansar numa esplanada frente ao lago, ao pôr-do-sol. Quem deseje férias mais activas, pode subir a encosta do vulcão Concepción.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras