Nas Bancas

Ao volante da nova Ford Ranger

A Ford aposta forte na renovação daquela que foi a pick-up mais vendida na Europa em 2015. Fomos conhecê-la nos Pirinéus e ficámos com muito boa impressão.

Pedro Amante
3 de março de 2016, 16:40

Visual arrojado, tecnologias de ponta e motores diesel que marcam pela eficiência. Estes são apenas alguns dos atributos que descrevem a nova Ford Ranger, a pick-up mais vendida na Europa em 2015, que tivemos oportunidade de conduzir em Astún, nos Pirinéus, e que agora chega ao mercado português.
A viagem ao volante da Ranger teve início em Saragoça, cerca de 170 km de estrada, que deram bem para comprovar que longe vão os tempos em que as pick-ups eram essencialmente veículos de trabalho, sem grande conforto ou equipamento. Na Ranger encontramos um interior confortável e contemporâneo, que em nada fica a dever a outro qualquer automóvel de passageiros. No entanto não perde a versatilidade de um dos veículos comerciais mais capazes da sua classe, estando disponível em três carroçarias: Cabina simples de duas portas, cabina dupla com portas traseiras articuladas para acesso aos assentos da segunda fila e cabina dupla de quatro portas.
Equipamento também é algo que não falta, principalmente ao nível da conectividade e tecnologias de ajuda ao condutor. Destacamos o sistema ativado por voz Ford SYNC2, centralizado no ecrã tátil de oito polegadas que, tal como podemos comprovar, é de muito fácil utilização. A Ranger dispõe ainda de sistema de alerta de manutenção de faixa de rodagem, cruise control adaptativo, reconhecimento de sinais de trânsito, assistência ao estacionamento atrás e à frente e câmara de visão traseira. Para quem pretende uma utilização mais off road, torna-se útil o sistema de assistência ao arranque em subida ou controlo de descida, que recorre ao sistema de controlo de tração para ajudar a descer encostas íngremes.
Quanto a motores, temos várias opções, e em todas elas os valores de consumo são surpreendentes, do 2.2 TCDI de 160 CV ao mais potente 3.2 TCDI com 200 CV. Todos podem ser conjugados com caixas de seis velocidades manuais ou automáticas. A proposta de 160 CV, por exemplo, realiza consumos na ordem dos 6,5 l/100 km e 171 g/km de emissões de CO2. Ambos os motores dispõem de sistema start-stop.
Depois de muito alcatrão, eis que surge a oportunidade de algumas ‘brincadeiras’ fora de estrada, primeiro à chegada a Jaca e depois já em plena estância de Astún, onde também tivemos oportunidade de conduzir numa pista de gelo outros modelos da Ford equipados com o sistema AWD (ver fotos). Com uma capacidade a vau líder da sua classe, até 800 mm de profundidade, e com 230 mm de distância ao solo, percebe-se que a Ranger foi especialmente concebida para enfrentar com facilidade os terrenos mais extremos e inacessíveis. Um ângulo de ataque de 28 graus e outro de saída de 25 graus permitem-nos não hesitar quando nos deparamos com obstáculos mais íngremes. A passagem de 4x2 para 4x4 faz-se através de um simples botão na consola central. A estes atributos junta-se também uma excelente capacidade de reboque até aos 3.500 kg e de transporte de carga até aos 1.260 kg.
A nova Ford Ranger está disponível em três níveis de equipamento: XL, Limited e a topo de gama Wildtrack, com vários extras que lhe conferem um look mais ousado e desportivo.
Quanto a preços, a nova Ford Ranger vai dos 28.140 euros aos 52.593 euros.
VEJA AQUI O VÍDEO

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras