Nas Bancas

Ao ritmo do novo Honda Jazz

O citadino e utilitário da Honda cresceu em tamanho e qualidade. Veja as fotos e conheça as novidades da terceira geração deste modelo.

Luís Cáceres Monteiro
29 de janeiro de 2016, 10:35

Basta olhar para o novo Jazz para confirmar que o citadino da marca nipónica está mais crescido. A terceira geração recorre à nova plataforma global da Honda para o segmento B o que lhe permite aumentar a versatilidade e o espaço a bordo. Na minha opinião, o design exterior evolui com naturalidade e preserva a original identidade do Jazz - um citadino com a habitabilidade e a versatilidade de um pequeno monovolume. Confesso que o Jazz sempre foi um dos meus citadinos preferidos. É espaçoso, a qualidade de construção é bastante aceitável, existem vários locais para colocar pequenos objectos como o telemóvel, a carteira, o telemóvel, uma garrafa de água e a posição de condução e os consumos estão em bom plano. A versatilidade continua a ser um dos cartões de visita do Jazz que apresenta o “sistema de bancos mágicos” e novas soluções de modularidade (um sistema idêntico ao do rebatimento das cadeiras de cinema). A capacidade de carga oscila entre os 354 litros e os 1314 litros de capacidade, com os bancos totalmente rebatidos.
O novo motor a gasolina 1.3 i-VTEC de 102 CV consegue um compromisso entre prestações e consumos. Nunca fiz médias superiores a 6,5 litros para percorrer 100 kms. A caixa manual é de seis velocidades.
A distância entre eixos também aumentou, o que permite não só oferecer maiores cotas de habitabilidade para os passageiros do banco traseiro, como também refinar o comportamento em estrada.
O novo Jazz não descura o entretenimento, corporizado no ecrã táctil de sete polegadas no centro do tablier e que serve como interface para o novo sistema de infotainement Honda Connect, que oferece acesso à internet e actualizações em tempo real de informações e trânsito, meteorologia e acesso a estações de rádio digitais.
Outro dos capítulos que não é descurado na terceira geração do Honda Jazz é o dos sistemas auxiliares de condução. A Honda recorre a uma câmara e a um radar de médio alcance, englobando uma série de tecnologia de segurança que foram introduzidas em toda a gama de novos produtos da Honda em 2015.
A terceira geração do Honda Jazz apresenta-se a concurso no Essilor Carro do Ano/Troféu Volante de Cristal 2016. O Honda Jazz concorre ainda ao prémio Citadino do Ano, onde defronta concorrentes como: Hyundai i20, Mazda2, Nissan Pulsar, Opel Karl e Skoda Fabia.
A versão que vê nas fotografias é o Jazz 1.3 i-VTEC Elegance Connect Navi (não qualquer extra) e custa 19.300 euros (inclui 1.000€ da campanha de desconto)
O preço não inclui valor de pintura Metalizada (500€) nem despesas de logística, transporte e SGPU (1.175€). A versão de entrada Jazz 1.3 i-VTEC Trend está disponivel a partir de 16.150 euros. Os intervalos de manutenção não devem exceder os 20.000kms ou 1 ano de utlização. A garantia do Jazz é de 5 anos (3 anos de fábrica + 2 anos de garantia suplementar).

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras