Nas Bancas

Ao volante do Skoda Octavia Break RS

Uma carrinha dócil no dia-a-dia, mas que sabe afiar as garras no asfalto quando é necessário.

Luís Cáceres Monteiro
9 de outubro de 2014, 17:23

A Octavia Break RS é uma proposta interessante para todos os que pretendem uma carrinha desportiva, espaçosa, segura, com qualidade, bem equipada, a um preço competitivo quando comparada com a concorrência directa. É um automóvel que desafia-nos a acelerar rumo ao horizonte, a desenhar as curvas mais difíceis a compasso. A terceira geração deste modelo permite-nos fazer uma utilização diária descontraída, sem stress, e, sempre que necessário, possui a potência adicional para realizar uma ultrapassagem em segurança. Conduzimos a carrinha mais potente da gama, cujo modelo base chegou ao mercado em 1996. Não julgue que estamos na presença de um VW Passat ou de uma carrinha Audi A4 - com um logótipo diferente - a um preço mais acessível. Os modelos Skoda têm uma identidade própria e, no caso particular desta carrinha, o cariz desportivo está bem vincado.

Uma carrinha para famílias apressadas!

O construtor checo investiu em criar um modelo com um design atual, fiável, motores potentes. A Octavia RS acelera dos 0 a 100 km/h em 6,8 segundos, atinge uma velocidade máxima de 248 km/h (com caixa de velocidades manual). É claro que não acelerei a velocidades tão elevadas. A oferta a gasolina é o bloco de 2.0 litros com uma potência de 220 CV, enquanto o bloco diesel, também de 2.0 litros, debita uma potência de 184 CV.
No caso da break que vê nas imagens, munida do bloco diesel, consegui consumos médios inferiores a 7,5 litros para percorrer 100 quilómetros. Nos momentos em que decidi conduzir de uma forma mais descontraída, consegui baixar a média para os 6,5 litros. Não podemos esquecer que a RS tem um peso bruto próximo das duas toneladas. O sistema Start-Stop e a recuperação de energia na travagem fazem parte do equipamento de série. A caixa de velocidades manual ou a transmissão automática DSG de dupla embraiagem com 6 relações estão disponíveis como opções para os dois motores.
O Skoda Octavia RS Break utiliza uma suspensão desportiva como padrão. O sistema de seleção do modo de condução é um opcional que custa 185 euros. A carroçaria foi rebaixada em 13 milímetros em comparação com a restante gama Octavia (13 mm na berlina RS). Na traseira encontramos um eixo multilink e na dianteira uma estrutura do tipo McPherson com triângulos inferiores. O bloqueio eletrónico do diferencial XDS está integrado no controle eletrónico de estabilidade (ESC), de série.
Gostei bastante do comportamento dinâmico em estrada desta break. A suspensão é durinha q.b. sem maltratar a zona lombar do "piloto". No arranque, a velocidades relativamente reduzidas, a RS Break sente alguma dificuldade em colocar no asfalto toda a potência disponível. Os pneus 225/40 e a jantes desportivas "Xtrem" pretas de 19 polegadas são bonitas e contribuem para o comportamento dinâmico desportivo. Já quando decidimos desenhar as curvas a bom ritmo a Octávia Break RS sente-se no seu habitat natural. A direção progressiva electromecânica é muito precisa, ajuda o condutor a efectuar menos movimentos no volante ao curvar, para conseguir a melhor trajetória. Desta forma, dispomos da aderência ideal para descrever curvas fechadas.
O interior do Skoda RS é caracterizado pelo amplo espaço no habitáculo e um ambiente marcadamente desportivo. Destaque para os bancos RS - autênticas bacquets de competição - com apoio de cabeça e excelente apoio lombar (os estofos em pele RS são um opcional e custam 552 euros), vale a pena o investimento. O volante desportivo de 3 raios em couro perfurado (de série). A alavanca de velocidades e o travão de mão também estão revestidos em couro. O painel de instrumentos inclui o display Maxi DOT, com design RS. O volante, a alavanca de velocidades, os painéis das soleiras das portas, os bancos e os tapetes possuem o logótipo RS. 

Espaço a bordo não falta

A bordo da Octavia Break RS é possível transportar até cinco adultos. A volumetria da bagageira aumentou 5 litros em relação ao modelo da segunda geração (para 590 litros) e no Break RS o incremento chegou aos 610 litros. A prateleira inferior na chapeleira é muito útil. A cobertura de enrolar da bagageira pode ser removida e guardada sob o piso de carga ajustável. As costas dos bancos traseiros rebatem facilmente na proporção 60:40 graças ao botão colocado na bagageira.
O Skoda Octavia RS propõe, Front Assistant/Emergency Breaking, o Lane Assistant (que mantém o Octávia RS na sua faixa de rodagem), os travões multi-colisão (que atuam de forma automática em caso de embate), o Crew Protect Assistant (outro sistema de segurança em caso de acidente) o Driver Activity Assistant e o Adaptive Cruise Assistant (Assistente de Velocidade Adaptativo, que mantém automaticamente uma distância pré-definida para o veículo da frente).
O Light Assistant permite mudar automaticamente de "máximos" para "médios", aumentando o conforto e segurança no trânsito. Já o Automatic Parking Assistant (Assistente de Estacionamento Automático) permite estacionar e retomar o andamento da Octávia RS de uma forma mais fácil. De referir também o reconhecimento de sinais de trânsito como parte do pacote "Traveller Assistant'" que associado ao sistema de navegação custa 2.160 euros, o pacote com características de segurança passiva, que vale 152 euros, possui até um total de nove airbags. A Skoda Octávia Break RS que vê nas imagens tem um preço total de 40.137 euros.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras