Nas Bancas

Motores: Ao volante do novo Ford Kuga pelas estradas da Côte d'Azur

Um SUV ágil, seguro, muito confortável e repleto de equipamento.

17 de fevereiro de 2013, 01:25

No passado mês de dezembro viajei até à Côte d’Azur paraexperimentar o novo Ford Kuga. Já tinha tido um primeiro contactocom este modelo há cerca de um ano, durante a Semana do Design deMilão, numa apresentação que teve como foco principal o design e a tecnologia, por isso, não tinha tido aindaoportunidade de o conduzir.
Desta vez o programa era bem diferente e contemplava muitosquilómetros pelas belas estradas da Riviera francesa. Logo àchegada ao aeroporto de Nice, tinha à minha espera um Kuga 2.0 TDCide 163 cv, com caixa manual de seis velocidades, e repleto deequipamento. Ainda antes de me instalar ao volante e deixar que osistema de navegação me ‘guiasse’ até Cannes, onde ficariainstalado nessa noite, pude experimentar uma das inovações destemodelo: o sistema de abertura ‘mãos livres’ da bagageira. Com umsimples movimento do pé sob o para-choques traseiro acionei aabertura da porta elétrica, colocando a minha bagagem numcompartimento que conta agora com 456 litros de capacidade, mais 46litros em relação ao modelo anterior. Caso este espaço não fossesuficiente, bastaria um único movimento para rebater na totalidadeos assentos traseiros.
Já instalado ao volante do novo Kuga, sigo em direção aCannes, num trajeto que incluía alguns quilómetros de autoestrada.O tempo chuvoso não foi problema, não estivesse este modeloequipado com o novo sistema inteligente de tração total (AWD), quereconhece de forma rápida as condições da estrada e se reajustapara readaptar a transmissão de energia às rodas, oferecendo assimuma excelente combinação entre tração e facilidade de condução.

Com o piso escorregadio, tive também oportunidade deexperimentar o sistema de Controlo em Curva da Ford, muito útil,por exemplo, quando entramos numa curva com muita velocidade. Se aoentrarmos numa curva não reduzirmos suficientemente a velocidade,este sistema entra em ação e desacelera de modo seguro o veículo emcerca de 16 Km/h por segundo.

As condições climatéricas faziam prever uma visibilidade maisreduzida, algo que não notei graças à excelente iluminação doveículo. Saliento que o novo Kuga está equipado com faróis Bi-Xenone luzes diurnas de LED.

Quanto ao sistema de navegação, apresenta comandos bastanteintuitivos e funcionou na perfeição, guiando-me até ao meu destinosem qualquer precalço. Desde logo percebi que o novo Kuga é muitodivertido de conduzir, bastante confortável e com um habitáculo bemsilencioso, segundo a marca, é mesmo um dos mais silenciosos do seusegmento.
Depois de uma noite chuvosa, o dia amanheceu solarengo epareciam estar reunidas as condições para um dia agradável aovolante do novo Kuga. Antes de seguir viagem, tempo para apreciar aestética do veículo. Não tenho dúvidas de que está visualmente maisatrativo do que a versão anterior e parece mais espaçoso. Narealidade, é 81 mm mais comprido do que o modelo anterior, masperdeu 4 mm em largura e 8 mm em altura. No entanto, ganhou emaerodinâmica e em habitabilidade, com dois lugares dianteirosbastante cómodos e lugares traseiros que não comprometem. Segundoos designers da Ford, o novo Kuga foi projetado para ser umveículo à escala global, capaz de satisfazer as necessidades dosseus clientes em qualquer ponto do planeta. Por exemplo,conciliaram a popularidade dos veículos de maiores dimensões nosEstados Unidos com a preferência europeia por carros maiscompactos. Assim como adequaram o gosto pelas cores claras nospaíses asiáticos com a tendência dos europeus pelas cores maisfortes. A inspiração para o desenvolvimento dos revestimentos ou dapaleta de cores surgiu de fontes tão diversificadas como o calçadodesportivo, a cosmética, a joalharia ou o mobiliário.
Durante o percurso pelos arredores de Cannes experimentei asvárias tecnologias de assistência ao condutor disponíveis queincluem a Assistência ao Estacionamento, o Sistema de Informação deÂngulo Morto, Ajuda à Manutenção na Faixa de Rodagem,Reconhecimento de Sinais de Trânsito ou Travagem Ativa emCidade.

Uma das inovações do novo Kuga é o Ford SYNC com Assistência deEmergência que em caso de acidente deteta a abertura de um airbagou a ativação do corte de emergência do combustível dentro doveículo e recorre ao localizador de GPS existente e ao telemóvelemparelhado por Bluetooth para realizar uma chamada de emergência efornecer as coordenadas GPS na língua local, neste caso em francês.Felizmente, este foi um dos únicos sistemas que não testámos.
Como já referi atrás, durante este ensaio dinâmico conduzi aversão 2.0 TDCi de 163 cv, com caixa manual de seis velocidades, efiquei agradado com o excelente comportamento do motor, potente ebem doseado. Saliento também que o novo Kuga é bastante ágil emcurva. Para esta versão, a marca anuncia valores de consumo decombustível na ordem dos 5,9 l/100 Km e 154 g/Km de CO2.

Em Portugal, o novo Kuga está também disponível com o motor 2.0TDCi de 140 cv e, a gasolina, com os motores 1.6 EcoBoost de 150 e180 cv. Dependendo da versão, pode estar equipado com caixa develocidades automática.
Conduzir o novo Ford Kuga revelou-se uma excelenteexperiência. Trata-se de um SUV ágil, seguro, bastante confortávele repleto de equipamento. Esteticamente está bastante bemconseguido, despertando olhares curiosos por onde quer que passe,mesmo nas cosmopolitas estradas do Mónaco, por onde fiz questão deo passear.

Preços

1.6 EcoBoost 150 cv – desde 28.745 euros

1.6 EcoBoost 180 cv – desde 39.045 euros
2.0 TDCi 140 cv – desde 35.845 euros

2.0 TDCi 163 cv – desde 43.495 euros

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras