Nas Bancas

1.jpg

D.R.

Motores: Carlos Sousa brilha na mais longa especial do Dakar 2013

É já 6.º na classificação geral.

Divulgação
15 de janeiro de 2013, 16:08

Num dia memorável para as cores nacionais no rali Dakar – Ruben Faria é o novo líder na corrida das motos e três portugueses terminarem a etapa entre os sete primeiros – Carlos Sousa e Miguel Ramalho brilharam também na categoria automóvel, garantindo o 6.º melhor tempo na mais longa especial desta edição, num total de 593 km. Com este magnífico resultado, a dupla da Great Wall sobe de uma assentada mais quatro lugares na classificação (apenas falta confirmar o atraso de Nasser Al-Attiyah, ainda parado em pista) e coloca-se agora em 6.º da geral no início desta segunda e decisiva semana de prova, a pouco mais de 12m de uma presença no top-5…
Após o (merecido) dia de descanso em San Miguel de Tucumán, a caravana do Dakar retomou a corrida esta segunda-feira e logo para enfrentar a mais extensa especial desta edição, num percurso total de 593 km, repartido por dois setores cronometrados: a primeira parte bastante técnica, em pistas florestais estreitas e sinuosas; e a segunda bem mais rápida e larga, em campo aberto.
Em puro contraste com a atribulada etapa de sábado, quando um problema mecânico os obrigou a sucessivas paragens para baixar a temperatura do motor, Carlos Sousa e Miguel Ramalho mostraram-se ao melhor nível, garantindo o 6.º melhor tempo desta longa e exigente especial – para já o seu melhor resultado nesta edição!
“Entrámos muito bem na primeira parte da especial e ao fim de poucos quilómetros começamos logo a ultrapassar concorrentes que largaram à nossa frente. Gostei muito desta parte do percurso, com pistas que se assemelhavam muito às nossas bajas”, explicou Carlos Sousa, que concluiu este sector inicial (225 km) com o 5.º melhor tempo, a apenas 6m35s do mais rápido, o sul-africano Giniel de Villiers, subindo já nessa altura a 8.º da geral provisória.
Bastante mais rápido e exigente para os travões, o segundo setor cronometrado acabou por não ser tão positivo para o piloto português: “Continuamos num ritmo muito forte, mas acabámos por perder alguma eficácia nos travões. Mais para o final, ficamos algo apreensivos com a caixa de velocidades e preferimos dosear um pouco andamento. De qualquer forma, o resultado final foi muito bom e o balanço deste dia é claramente positivo. Tal como previa, nada está ainda fechado neste Dakar no que diz respeito ao top-10”, confirmou Carlos Sousa à chegada a Córdoba, após uma jornada em que subiu nada menos que quatro lugares à geral, fixando-se agora em 6.º, a mesma posição em que terminou o último Dakar.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras