Nas Bancas

Motores: Ao Volante do Ford B-MAX

Um monovolume compacto que se destaca pela sua excelente acessibilidade e pelo eficiente e económico motor 1.0 EcoBoost.

21 de novembro de 2012, 23:55

Clique AQUI para ver o vídeo
É impossível falar do novo Ford B-MAX sem começar pelo inovador sistema de portas de acesso fácil. Com portas dianteiras convencionais e traseiras deslizantes, este novo monovolume compacto não possui pilar central convencional, o que faz dele um dos automóveis mais versáteis em termos de acessibilidade. O pilar central está integrado nas próprias portas, que quando estão abertas apresentam uma abertura de mais de 1,5 metros, sem qualquer obstrução. Instalar as crianças, permitir o acesso a pessoas com mais dificulldades de locomoção ou, simplesmente, carregar ou descarregar compras torna-se uma tarefa muito mais fácil do que é habitual, com a garantia de que este é um carro que oferece os mesmos níveis de proteção em caso de acidente do que um automóvel com uma estrutura convencional. Para os mais cépticos, acrescento que as portas dianteiras e traseiras do B-MAX foram reforçadas com aço de ultra-alta resistência nas principais áreas de suporte de carga de modo a que as estruturas das portas possam trabalhar em conjunto para absorver a energia dos impactos laterais.
Em termos de habitabilidade, há espaço de sobra para que quatro ocupantes se sintam bem confortáveis, apesar de estar preparado para receber cinco. O sistema de bancos é fácil de usar e podem ser rebatidos em 60/40 através de um simples movimento. O banco do passageiro da frente também pode ser rebatido, possibilitando um piso de carga plano, capaz de albergar objetos até 2,34 metros de comprimento. Com todos os bancos abertos, a bagageira apresenta uma capacidade de 318 litros.
Olhando para o interior, percebe-se a boa qualidade dos materiais utilizados e um bom nível de equipamento. De salientar que o novo Ford B-MAX está disponível em Portugal em três níveis de equipamento: Trend, Titanium e Titanium X. Para o lançamento, a Ford propõe a versão First Edition, equipada com os motores 1.0 EcoBoost de 100 cv e 1.5 TDCi de 75 cv, que junta ao nível de equipamento Titanium o teto panorâmico, as jantes de liga leve de 17 polegadas, as barras de tejadilho silver e os vidros escurecidos. Estas duas opções apresentam preços de 18.950 e 21.680 euros, respetivamente.

Mantendo a consola central característica dos mais recentes modelos da marca, o B-MAX tem comando intuitivos e apresenta uma boa posição de condução e oferece uma excelente agilidade e maneabilidade. Não restam dúvidas de que é um carro concebido para a cidade, mas que não desilude em estrada. É um pequeno familiar bastante competente no uso quotidiano e que está dotado de vários sistemas tecnológicos que não são frequentes neste segmento.
A nível de tecnologia, o B-MAX o Ford SYNC de comando por voz com integração de dispositivos e interface de conectividade e o sistema de Assistência de Emergência. Em caso de acidente, este sistema permite fazer uma chamada de emergência para o operador local dos serviços de emergência sem necessidade de intervenção de qualquer um dos ocupantes. Em caso de acidente, o SYNC consulta de imediato o sistema de GPS no veículo e o telefone emparelhado via Bluetooth para sinalizar o local. Esta informação é usada para selecionar o idioma apropriado para efetuar a chamada para os serviços de emergência e fornecer as coordenadas de GPS para uma resposta mais rápida. Este sistema não tem qualquer custo mensal e fica disponível durante toda a vida útil do veículo.
O B-MAX vem também equipado com o sistema áudio Sony, sistema de abertura sem chave Key Free, botão Ford Power e câmera de visão traseira. De salientar que é o único veículo do seu segmento que fornece o sistema de Travagem Ativa em Cidade, que imobiliza o carro caso exista um obstáculo à sua frente quando circulamos a uma velocidade inferior a 30 Km/h.
A nível de motores, o B-MAX é proposto nos premiados 1.0 EcoBoost a gasolina, de 100 e 120 cv, e nos Diesel 1.5 TDCi de 75 cv e 1.6 TDCi de 95 cv. Todos com caixa manual de 5 velocidades.

Depois de ter experimentado o 1.6 TDCi e o 1.0 EcoBoost de 100 cv, não tenho grandes dúvidas de que este último é o que melhor se adapta ao novo B-MAX, principalmente quando olhamos para uma relação preço/consumos/prestações. Com emissões reduzidas de CO2 (114 g/Km), este motor apresenta um consumo combinado na ordem dos 4,9 l/100 km, atinge uma velocidade máxima de 175 Km/h e chega aos 100 Km/h em 13,2 segundos. Com este motor, bastante vivo e eficaz, parece-me um erro optar pelo gasóleo. Mas é apenas uma opinião.
Preços

1.0 EcoBoost Trend 100cv - desde 18.280 euros

1.0 EcoBoost First Edition 100 cv - desde 18.950 euros

1.0 EcoBoost Titanium 120 cv - desde 20.080 euros

1.0 EcoBoost Titanium X 120 cv - desde 21.280 euros
1.5 TDCi Trend 75 cv - desde 21.030 euros

1.5 TDCi Titanium 75 cv - desde 21.680 euros

1.6 TDCi Trend 95 cv - desde 21.630 euros

1.6 TDCi Titanium 95 cv - desde 22.830 euros

1.6 TDCi Titanium X 95 cv - desde 24.030 euros.
 

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras