Nas Bancas

Motores: Ao volante do Renault Twizy

Um veículo 'viciante' e extremamente divertido de conduzir, ideal para a cidade e para quem faz da mobilidade o seu estilo de vida.

19 de outubro de 2012, 01:55

Não restam dúvidas de que a Renault mostrou uma boa dose de ousadia ao lançar o Twizy. Este pequeno veículo elétrico de dois lugares é incomparável e conduzi-lo revela-se uma agradável e divertida surpresa, até porque após alguns dias ao volante percebemos que é uma excelente opção para o dia-a-dia, principalmente quando o usamos para uma condução maioritariamente citadina. De facto, o Twizy é isso mesmo: um veículo citadino por excelência e que tem na mobilidade um dos seus principais atributos.

Com o seu design inovador, o Twizy é incapaz de passar despercebido e é curioso verificar a quantidade de pessoas que se aproximam dele quando o estacionamos. Convém referir que é bastante fácil de estacionar, já que mede apenas 2,38 metros de comprimento e 1,39 metros de largura. Embora possa não parecer, é confortável e seguro, apresentando cintos de segurança integrais e airbag.
Depois de abrirmos as portas, ao estilo Lamborghini, verificamos que o habitáculo apresenta apenas o indispensável e que não existe bagageira, mas apenas alguns compartimentos para arrumação de objetos no tablier. Os comandos são básicos e a nível de acabamentos imperam os plásticos. O rádio não vem de série, assim como o desembaciador do vidro dianteiro. Entre os acessórios disponíveis, destaco o banco elevatório para crianças com mais de 15 Kg de peso, a capa protetora para condutor e passageiro, sistema de auxílio ao estacionamento traseiro, sistema de navegação ou o alarme antielevação, para prevenir surpresas por parte dos amigos do alheio.

E porque as portas do Twizy não têm vidro e o inverno está à porta, a Renault apresentou recentemente um sistema de fecho das portas. Sem o auxílio de qualquer ferramenta, este sistema monta-se em cerca de cinco minutos, mantendo inalterada a carroçaria e protegendo o habitáculo contra as intempéries.
O Twizy é um veículo 100% elétrico e para o carregarmos na totalidade bastam três horas e meia numa tomada domética normal. A autonomia é de cerca de 80 km, podendo aumentar ou diminuir ligeiramente, dependendo do nosso estilo de condução.

Está disponível em duas versões. Uma mais potente, que foi a que experimentámos, e para a qual é nesessária carta de condução de categoria B, e outra para a qual basta possuir carta de categoria B1, possível de tirar a partir dos 16 anos (Twizy 45). Esta versão tem apenas 9 cv e uma velocidade máxima limitada a 45 Km/h. A versão mais potente tem 17 cv e atinge uma velocidade máxima de cerca de 80 Km/h. Em qualquer um dos casos, o aluguer da bateria tem um valor mensal de 50 euros. Seja qual for a versão, o Twizy não pode circular em autoestradas.
Quanto a preços, o Twizy 45 está disponível desde 6.990 euros, enquanto a versão mais potente apresenta um preço inicial de 7.690 euros.
 

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras