Nas Bancas

Motores: Ao volante do Volkswagen CC

Um coupé de quatro portas com muito estilo que se destaca pelo conforto e um interior bastante harmonioso.

3 de agosto de 2012, 02:23

Nasceu com a designação Passat CC, mas é agora conhecido apenas como Volkswagen CC, sinal de que ganhou um lugar próprio entre a gama da marca germânica. O primeiro coupé de quatro portas da VW é um carro bastante atraente e que tem no design e no conforto um dos seus pontos mais fortes. Com mais 31 mm de comprimento, 36 mm de largura e menos 50 mm de altura do que a berlina Passat, o CC apresenta um estilo marcadamente desportivo e dinâmico, próprio de um coupé. Os vários pormenores cromados dão-lhe um toque premium e elegante. Foi renovado no início deste ano e apresenta agora uma nova grelha dianteira, ainda mais imponente, novos grupos óticos, e conta com faróis bi-xénon à frente e tecnologia LED nos farolins traseiros. É, sem dúvida, um carro que dá nas vistas e ao qual é muito difícil resistir, principalmente depois de o conduzirmos e apreciarmos o seu excelente nível de conforto, com especial destaque para a qualidade dos materiais utilizados e pela quase total ausência de ruído no seu interior.
A qualidade de vida a bordo é uma das peças-chave do VW CC. O espaço abunda, mesmo nos dois bancos traseiros individuais, separados por uma consola para pequenos objetos. Todos os bancos proporcionam uma viagem agradável e a qualidade e bom gosto dos materiais utilizados conferem ao interior do CC um visual bastante harmonioso. Estão disponíveis vários revestimentos e diferentes acabamentos em madeira, pele ou acrílico. Os embutidos em cromado mate e as aplicações em alumínio escovado da unidade ensaiada funcionam muito bem, conferindo um aspeto despojado, mas, ao mesmo tempo, elegante. O espaço abundante estende-se também à bagageira, com uma capacidade de 535 litros.
O Volkswagen CC dá também nas vistas ao nível de tecnologia, com especial destaque para o sistema 'Lane Assist', que deteta a transposição involuntária da faixa de rodagem e intervém na direção corrigindo a trajetória. Este dispositivo só funciona a velocidades superiores aos 65 Km/h e opera com nevoeiro e à noite. Há também o 'Front Assist', sistema que mantém automaticamente a distância previamente regulada para o veículo da frente, avisando-nos de situações de perigo com sinais visuais e sonoros, e dois sistemas de assistência ao estacionamento, o 'Park Pilot', que funciona com sensores ultra-sons nos para-choques, e o 'Park Assist', que nos auxilia no estacionamento paralelo à faixa de rodagem, assumindo os movimentos da direção e estacionando o veículo automaticamente. Do nosso lado fica apenas o controlo do acelerador, embraiagem e travão. Está também disponível uma câmara traseira de estacionamento, que se projeta automaticamente no visor do rádio ou do sistema de navegação. O Sistema de rádio-navegação é opcional e vem equipado com um disco rígido de 30 GB, que nos permite armazenar dados de navegação ou coleções de músicas  no formato MP3 ou WMA.
Quanto à gama de motores para o nosso país, é composta pelas unidades Diesel 2.0 TDI de 140 e 170 cv com tecnologia Bluemotion. Ambas podem vir equipadas com a caixa de velocidades automática DSG e contam de série com o sistema Start-Stop. Conduzimos aquela que é a versão com mais procura em Portugal, o 2.0 TDI de 140 cv e caixa manual de seis velocidades. Para esta motorização a marca anuncia um consumo combinado de 4,7 l/100 Km e 125 g/Km de CO2. Atinge uma velocidade máxima de 214 Km/h. e chega aos 100 Km/h em 9,8 segundos.
Quanto a preços:
2.0 TDI 140 cv - desde 39.678 euros

2.0 TDI 170 cv - desde 43.419 euros
 

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras