Nas Bancas

Motores: Porsche Panamera Diesel

O novo Porsche Panamera Diesel é um automóvel único. A marca de Estugarda agitou o mercado ao lançar um modelo capaz de rivalizar diretamente com o Audi A7, o BMW Série 5 GT, e, claro, o Mercedes CLS. Isto quando olhamos para automóveis premium com motores 3.0 litros diesel

Luís Cáceres Monteiro
17 de março de 2012, 00:13

O novo Grand Turismo alemão permite realizar viagens longas em família. O depósito tem capacidade para 80 litros e garante uma autonomia de 1200 quilómetros. A bordo do Panamera sentimos imediatamente que estamos num Porsche. A consola central com elevação para a frente não engana. A ignição encontra-se do lado esquerdo do volante. O painel de instrumentos tem um visual único.
Os quatro bancos individuais são confortáveis e proporcionam um excelente apoio lateral. As possibilidades de personalização são imensas. Também a bagageira permite constatar que o Panamera é mais do que um automóvel desportivo de quatro lugares. Espaço não falta! Por debaixo da grande porta da bagageira podemos transportar com facilidade quatro malas. São 445 litros de capacidade!
Chassis competente em estrada
No lançamento do Panamera Diesel alguns puristas da marca defenderam que a Porsche estava a cometer uma heresia. O tempo tratou de confirmar que é possível conciliar carater desportivo com economia. Os resultados dos motores diesel nas 24 Horas de Le Mans trataram de apaziguar os ânimos.
Conduzir o Panamera Diesel é bem diferente de acelerar um 911 Carrera 2 Coupé. A adrenalina está lá, é verdade, de qualquer forma, o Panamera Diesel não é tão "explosivo", nem tão guloso. O Porsche 911 pesa 1795 kg e alinha com 350 CV. No caso do Panamera Diesel o peso bruto sobe aos 2.500 kg, a potência desce aos 250 CV. São carros da mesma família, diferentes no estilo e com pretensões bem distintas.
O Panamera Diesel é um verdadeiro quatro portas. O motor é um turbodiesel V6 de 3.0 litros. A injeção direta do combustível é efetuada através do sistema de injeção common rail com uma pressão até 2.000 bar para uma carburação eficaz e maior dinâmica. O turbocompressor é de geometria variável (VTG). Resultado: 250 CV de potência e um binário máximo de 550 Nm. A aceleração dos 0 aos 100 km/h faz-se em 6,8 segundos. O binário é disponibilizado logo entre as 1.750 e as 2.750 rpm. A velocidade máxima é de 242 km/h. Os consumos combinados anunciados pela marca são de 6.5 litros, no meu caso, nunca consegui baixar dos 9 litros para percorrer 100 quilómetros. Gostei particularmente do funcionamento da "inteligente" caixa Tiptronic S de 8 velocidades. O sistema manual de engrenagem através das duas teclas situadas no volante desportivo é que podia ser mais intuitivo.
Pacote Sport Chrono Plus
A título opcional, está disponível o pacote Sport Chrono Plus (apenas em conjugação com o Porsche Communication Management PCM) para os modelos Panamera - e o pacote Sport Chrono Turbo para o Panamera Turbo (de série no Panamera Turbo S). O pacote inclui um cronómetro digital e analógico. O botão na consola central ativa o modo Sport Plus. O motor torna-se mais agressivo e o veículo com uma afinação ainda mais desportiva. Opcional para o Panamera, Panamera 4 e Panamera Diesel, de série nos restantes modelos: o ajuste eletrónico dos amortecedores, PASM. Este sistema permite ajustar de forma ativa e contínua a força de amortecimento em cada roda, de acordo com o estado do piso e o estilo de condução. Para assegurar movimentos mínimos da carroçaria e, consequentemente, mais conforto nos quatro lugares. Este sistema vale bem a pena, custa 1.600 euros.
O Panamera Diesel está à venda em Portugal com um preço a partir de 104 mil euros. A versão que vê nas imagens custa 130 mil euros devido ao equipamento opcional.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras