Nas Bancas

Motores: Ao volante do novo Classe B da Mercedes

Mais do que uma renovação, o novo Classe B da marca germânica foi alvo de uma verdadeira revolução.

15 de dezembro de 2011, 02:09

Por dentro ou por fora, quase tudo é novo neste monovolume compacto da Mercedes-Benz e isso percebe-se ao primeiro olhar. É certo que ganhou um cariz mais desportivo, o que não significa que tenha perdido os seus atributos em termos de habitabilidade. Atrevo-me a dizer que qualquer semelhança encontrada entre este novo modelo e a anterior geração é pura coincidência.

O conceito do duplo piso existente no anterior Classe B foi banido e a principal consequência dessa alteração é uma posição de condução muito mais baixa. Em contrapartida, ganha-se em altura e isso nota-se particularmente nos lugares traseiros. Há espaço suficiente para as cadeiras das crianças, o que não deixa de ser um factor importante quando estamos a falar de um automóvel familiar. Sem cadeiras, o espaço traseiro é suficiente para dois adultos viajarem cómodos e confortáveis.
Condutor e passageiros têm à sua disposição um vasto leque de equipamento, não estivessemos nós a falar de um modelo premium. A fazer lembrar um tablet ou uma moldura digital, o monitor central surge destacado no topo da consola central e a navegação faz-se através de um comando rotativo posicionado entre os bancos. A sua utilização é bastante intuitiva. O Classe B apresenta várias soluções de navegação, sendo que o sistema mais avançado pode ligar-se à internet e tem conectividade com o Google. O painel de instrumentos tem boa leitura e o sistema de som também nos pareceu bastante bom.

Estão disponíveis várias opções de ambientes (Chrome, Sports, Exclusive e Night Package), diferentes materiais para as inserções no tablier e vários tipos de tecidos e couro para os bancos. Tudo depende da preferência de cada um e de quanto estamos dispostos a gastar. A qualidade dos plásticos é excelente, ao nível do que a Mercedes tem habituado os seus clientes.

A bagageira tem uma capacidade de 488 litros e é regulável em duas alturas. O acesso é bastante bom. Já ao nível de espaços de arrumação e porta-objectos, há um porta-copos e um apoio de braços com tampa. Por mais 250 euros, está disponível um pacote de arrumação que inclui duas gavetas sob os bancos da frente, mesas para os lugares traseiros e redes nas costas dos bancos.
Design Exterior
O novo Classe B mede 4359 mm de comprimento (+89 mm) e 1786 mm de largura (+11 mm). É, no entanto, mais baixo: 1557 mm de altura (-47 mm). É mais espaçoso e a aerodinâmica foi bastante melhorada em relação ao modelo anterior.

Em termos de design, estamos perante um automóvel compacto com pretensões de monovolume e, como já referimos, com um cariz desportivo. Mantém os conjuntos óticos traseiros partidos em dois e incorpora agora luzes LED diurnas. A estrela da grelha frontal (logotipo da marca) é agora totalmente lisa, mais uma mudança em prol da aerodinâmica. A integração dos sensores de estacionamento é um dos detalhes que também foi melhorado.

Neste novo Classe B conduz-se mais perto do chão, o que significa um comportamento mais dinâmico e menos semelhante ao de um monovolume convencional.
Motores
Quando dissemos que quase tudo é novo no Classe B falávamos também a nível de motor. Este modelo estreia uma nova geração a diesel: 1.8 CDI, com 109 cv. As prestações anunciadas são de 190 km/h de velocidade máxima e 10,9 segundos dos 0 aos 100 km/h.
Este motor Integra a gama BlueEfficiency que, em conjunto com uma boa aerodinâmica, ajudam a alcançar consumos mais baixos. Os valores anunciados pela marca são de 5,6 l/100 km em cidade e 4,1 l/100 km em extra-urbano.

A ajudar aos baixos consumos está o sistema Start/Stop, que vem de série, tanto em caixa manual como automática. A caixa manual é de seis velocidades e o recomendador de mudança de velocidade também nos permite uma maior eficiência. Está também disponível a versão com caixa automática de dupla embraiagem.
Segurança
O novo Classe B apresenta também grandes avanços a nível de segurança. De destacar o Pre-Safe, sistema que, ao arrancarmos, ajusta os cintos de segurança ao nosso corpo.

Disponível de série está também o Collision Prevention Assist, que vigia a possibilidade de acidente e nos adverte através de um sinal luminoso. O carro não trava sozinho, mas quando o condutor pisa o travão de forma mais forte e brusca, a sua máxima potência está disponível. É certo que não se evita o choque, mas as consequências serão, certamente, menores. O Classe B dispôe de sete airbags.
Como opção estão disponíveis vários dispositivos de segurança:

Assistente de ângulo morto nos retrovisores; assistente de manutenção na via, nota-se uma vibração no volante sempre que saímos da faixa; limitador e regulador de velocidade Distronic Plus, mede a distância de segurança em relação ao automóvel da frente; reconhecimento de sinalização; ABS; controlo de estabilidade e tração.
Preços Base
180 CDI BlueEfficiency (Caixa manual): 32.500 euros

180 CDI BlueEfficiency (Caixa automática): 34.813 euros
A unidade ensaiada pela CARAS Motores custa 39.727 euros e tinha como principais extras a pintura metalizada (569 euros); Sistema de estacionamento ativo (691 euros); Pack de espaços de arrumação (250 euros); Faróis bi-xenon (853 euros); Pack Desportivo (1.341 euros); Pack Night (772 euros); Pack Visibilidade (325 euros).

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras