Nas Bancas

Bento Amaral

Bento Amaral

D.R.

A escolha de... Bento Amaral

Dez anos depois de se ter sagrado campeão do mundo em vela adaptada, o enólogo vai participar no ‘Port Wine Day’, a decorrer no Porto.

CARAS
11 de outubro de 2015, 18:00

Diretor dos Serviços Técnicos e de Certi­ficação do Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto (IVDP), Bento Amaral é anfitrião do Port Wine Day, evento de promoção do vinho do Porto que decorre no Porto e no Douro até dia 13 e no qual vai realizar a masterclass Os anos 70: Um Porto por Ano.
Licenciado em Engenharia Alimentar, estagiou no Instituto de Enologia de Bordéus antes de ingressar no IVDP, há 14 anos. Conceituado enólogo, foi no entanto como atleta que se tornou conhecido. Tetraplégico desde 1994, na sequência de um acidente na praia, Bento Amaral sagrou-se campeão do mundo de vela adaptada em 2005 e representou Portugal nos Jogos Paralímpicos de 2008. Um ano depois, foi condecorado Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.
Regularmente convidado para participar em conferências sobre a integração de deficientes na sociedade, desporto adaptado e vivência pessoal e espiritual, Bento Amaral editou em 2013 a autobiografia, Sobreviver.
O Livro - "Mataram a Cotovia”
Imensos, uma vez que adoro ler. De preferência de Dostoievski, Camus, Marguerite Yourcenar ou Tolstoy. Neste verão fui surpreendido pelo Mataram a Cotovia, de Harper Lee pela coerência de vida da personagem Atticus, mas também pelo respeito que demonstra por todas as pessoas, independentemente das suas opiniões e forma de estar na vida, lembrando muitas vezes que o problema é das situações e não do carácter. É um livro muito humano.
O CD - “Requiem“, de Mozart
Foi o primeiro disco de música clássica do qual gostei verdadeiramente. Duas décadas depois, ainda continuo a ouvi-lo. Mas também o Unknown Pleasures, dos Joy Division, que me despertou para uma corrente musical alternativa, que continua a ser a minha preferida. Por fim, Alma Mater, do Rodrigo Leão: a companhia perfeita para uma tarde de leitura.
O Filme - “Amigos Improváveis“
Já fui bastante mais cinéfilo do que sou atualmente. O último filme que me marcou foi Amigos Improváveis, por retratar uma situação física semelhante à minha. Noutra época: O Silêncio dos Inocentes. Vistos vezes sem conta em casa: Aconteceu no Oeste e O Pai Tirano.
O Espetáculo - Jogos Paralímpicos
A sessão de encerramento dos Jogos Paralímpicos 2008 em Pequim foi marcante, pela emoção de estar a representar Portugal e pela grandiosidade do evento.
Ofim de semana - Douro
Em qualquer sítio, com a minha mulher. Mas o Douro é sempre uma ótima escolha, pela paz e tranquilidade que me transmite. Pela beleza da paisagem construída pelo Homem.
O Restaurante - Casa de Pasto da Palmeira
Gosto de restaurante informais, por isso elejo a Casa de Pasto da Palmeira, na Foz, e o Cantinho do Avillez, na Baixa do Porto. Mas as duas refeições mais memoráveis que já fiz, do ponto de vista culinário, foram no Celler Can Roca (Catalunha) e na cozinha do Arzak (País Basco).

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras