Nas Bancas

José da Câmara

José da Câmara

D.R.

A escolha de… José da Câmara

Nascido numa família de fadistas, desde cedo teve o “destino marcado”. O fado foi companhia de juventude e faz dele profissão desde os 19 anos.

Redação CARAS
3 de agosto de 2014, 19:00

José da Câmara nasceu em Lisboa em 1967 e foi desde sempre influenciado pelo forte ambiente musical familiar: sendo o mais novo dos seis filhos de D. Vicente da Câmara, começou a cantar ainda jovem, acompanhado pelo pai. Por piada, passou a cantar fado em festas familiares e entre amigos e, em 1984, subiu ao palco pela primeira vez, no Teatro da Trindade.
Estreou-se como profissional em 86, na revista Lisboa, Tejo e Tudo, de Fialho Gouveia e Raul Solnado, no Teatro ABC, ao lado de nomes como Natalina José e Henrique Viana.
O seu primeiro CD, homónimo, é lançado em 88 e, desde então, tem atuado um pouco por todo o mundo. Com um CD acabado de gravar, Até Sempre Sr. Fado, José da Câmara inicia a 4 de julho, nos Arabian Days, em Faro, uma digressão nacional.
O LIVRO: “Equador”
De Miguel Sousa Tavares. Não terá sido o melhor que li, mas é o que me apetece reler. Pela história e pelos locais – começa em Vila Viçosa, que conheço muito bem, e passa pela Lisboa de uma época de que gosto e por São Tomé e Príncipe, onde nunca fui e fiquei com vontade de ir.
O FILME: “Os Intocáveis”
De Brian de Palma, é uma história empolgante, com atores fabulosos e numa época difícil dos Estados Unidos. Prendeu-me do princípio ao fim. Mas o filme que mais vezes vi foi Música no Coração.
O RESTAURANTE: “Largo”
No coração de Lisboa, no Largo de São Carlos, tudo é excelente: localização, atendimento, ambiente e comida. Sou fã de gastronomia portuguesa. Estar à mesa é uma das coisas de que mais gosto. Estar à mesa não envelhece.
A VIAGEM: Brasil
São Paulo para a noite, Rio de Janeiro para a noite e para o dia. E principalmente o povo brasileiro, que está sempre bem disposto. É contagiante! É irresistível!
O DISCO: “Até Sempre Sr. Fado”
O meu novo disco, com letras originais de grandes poetas e minhas. Foi gravado no Palácio de Pintéus, casa do grande fadista João Ferreira Rosa, onde já se viveram noites mágicas de fado. Tive o prazer de cantar um fado com o dono da casa.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras