Nas Bancas

Sandra Santos

Sandra Santos

D.R.

A escolha de... Sandra Santos

Protagonista da série da RTP 'Bem-Vindos a Beirais', a atriz, natural do Porto, é licenciada em Nutrição, embora a representação seja o seu grande amor.

Andreia Cardinali
15 de setembro de 2013, 19:00

Atriz há mais de uma década, Sandra Santos, de 31 anos, natural do Porto, percebeu que queria ser atriz assim que pisou um palco, ainda frequentava o 9.º ano. No entanto, e porque acredita que uma pessoa não deve ser definida por uma única coisa, acabou também por se licenciar em Nutrição. Em 2005 estreou-se na televisão com a novela Dei-te quase tudo, na TVI, e entre 2007 e 2009 foi a Nani da série Conta-me como Foi, na RTP. Participou em mais nove telenovelas e séries, a par de muitas peças de teatro. Viveu uma das maiores experiências da sua vida como voluntária da AMI em São Tomé e Príncipe e agora é a protagonista da série Bem-Vindos a Beirais, na RTP.
O Restaurante - Miss Saigon
Especialmente por não ser vegetariana, sabe-me bem, de vez em quando, saborear um bom naco de tofu ou seitan, enquanto, ao mesmo tempo, faço uma das coisas de que mais gosto: viajar. É que todos os dias este restaurante apresenta pratos diferentes, inspirados na gastronomia de vários países. O único senão é mesmo o pavê de chocolate, uma sobremesa à qual é impossível resistir! Fica no Parque das Nações, em Lisboa.
O Filme - "Antes da Meia-Noite"

Um filme íntimo e inteligente. O subtexto dos extensos diálogos, que aparentemente são só “conversa”, vai ao encontro das nossas inquietações e dúvidas. Um final surpreendente de uma trilogia onde o casal protagonizado por Ethan Hawke e Julie Delpy, agora com 40 anos, mantém o idealismo e a curiosidade da juventude, numa simbiose perfeita com o realizador, Richard Linklater, onde a fórmula do amor não é necessariamente igual a um mais um!
O Livro - "Os Enamoramentos", de Javier Marías

Vale a pena descobrir um dos melhores autores espanhóis da atualidade, regularmente indicado como futuro Prémio Nobel, neste romance, onde ficamos a conhecer María Dolz, uma solitária editora de livros que admira, à distância, todas as manhãs, aquele que lhe parece ser o “casal perfeito”. Para ler numa esplanada à beira- mar ou ter na mesinha de cabeceira.
A Viagem – Grécia

As melhores viagens são aquelas que ainda estão por fazer. As minhas são sempre condicionadas pelas pessoas que vou conhecendo. Qual deusa grega, o meu verão terá o Parténon como cenário e os planos profetizam que em Skiathos e Skopelos irei ter o merecido descanso. Nomes complicados de um paraíso já visto por muitos, pelo menos no cinema. Lembram-se do Mamma Mia?

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras