Nas Bancas

Marta Gautier

Marta Gautier

Mike Sergeant

A escolha de... Marta Gautier

A psicóloga clínica aliou a psicologia ao humor e criou o espetáculo 'Vamos lá Então Perceber as Mulheres... Mas só um Bocadinho...', um monólogo cómico que aborda a vida dos casais e famílias.

Marta Mesquita
27 de maio de 2012, 18:00

Marta Gautier é psicóloga clínica, especialista em psicoterapia individual e com formação em competências parentais. Casada e mãe de duas crianças, Marta tem aliado os seus conhecimentos profissionais à sua experiência enquanto mulher e mãe, tendo escrito recentemente o livro Gosto de ti Assim. Neste diário, a psicóloga aborda o dia-a-dia de uma mulher, igual a tantas outras, que aprende a gostar de si própria tal como é. Numa entrevista que nos deu recentemente, Marta partilhou: "O meu interesse pela psicologia tem a ver com o aprender a amar melhor. (...) O amor resolve tudo, depois, não há nada mais importante do que o amor."
O livro - "Gosto de ti Assim”
Fui eu que escrevi este livro e posso dizer que foi ele que me salvou. Foi a partir da catarse deste diário de uma mulher em 30 dias, com momentos divertidos e outros angustiados, que pude exorcizar os meus próprios demónios, aceitar-me como sou, e ainda me serviu de base para o meu monólogo cómico Vamos lá Então Perceber as Mulheres... Mas só um Bocadinho....
Monólogo Cómico - "Vamos lá Então Perceber as Mulheres..."
Não fui eu que inventei esta categoria de 'Monólogo Cómico'! E se não pusesse o meu próprio Monólogo em 'A Escolha de...', podia até ser acusada de ridícula, ou pior, de falsa modéstia. Olha, tem sido uma coisa gira e diz que tem corrido de feição.
O Filme - "Sangue do Meu Sangue"
Juro que este filme de João Canijo não tem nada a ver comigo. Agora era sempre, não? Quem me dera... Mas um dia ainda hei de fazer um filme com o Nuno Lopes. Ai não que não hei de! Neste momento, já nem o céu é o limite.
O País - Brasil
Há 15 anos fui lá para as favelas fazer voluntariado e era o único país para onde me mudaria. O único. As pessoas e o espírito fazem-me bem. De resto, só o meu querido e maravilhoso Portugal. A crise? No dia em que me deixar imbuir por esse espírito, estou feita.
O Poema - "Poema em linha recta"
É um poema de Fernando Pessoa (Álvaro de Campos). "Eu que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante, Que tenho sofrido enxovalhos e calado, Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo ainda, Eu, que tenho sido cómico às criadas de hotel, (...) Quem me dera ouvir de alguém a voz humana, Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia; Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia! (...) Então sou só eu que é vil e erróneo nesta terra?".

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras