Nas Bancas

users_308_30831_rie5gt1-74a0.jpg

Conduzimos o novo topo de gama BMW Série 5 GT

Uma viagem ao Algarve ao volante do novo símbolo da marca alemã. A BMW despede-se da actual Série 5.

Luís Cáceres
19 de janeiro de 2010, 23:22

Escolhi o Algarve como destino para dizer adeus a 2009. Viajo de Lisboa ao volante de um BMW Série 5 Grand Turismo. Último dia do ano, passam poucos minutos das onze horas da manhã. Chove, a estrada encontra-se traiçoeira e as mensagens dos painéis informativos da A5 alertam-me para o número de mortes na estrada em 2008.


O BMW que conduzo é o novo topo de gama da marca alemã. É a despedida da Série 5 que recebe uma nova geração em 2010. O Série 5 GT não é esteticamente consensual. Há quem goste, quem não goste, a discussão centra-se invariavelmente sobre as linhas da sessão traseira. A minha intenção é aproveitar a vocação estradista, o conforto, a segurança e o mundo de tecnologia a bordo deste "crossover" para chegar tranquilamente ao Algarve. O que é isso? Perguntam muitos leitores...e cheios de razão. O termo "crossover" foi o nome encontrado pelos gurus da indústria automóvel para definir um automóvel que alia as características de uma berlina, a capacidade de transporte de carrinha (440 a 1700 litros), a habitabilidade de um monovolume e a posição de condução e altura da carroçaria de um SUV. Rapidamente esqueço as questões estéticas.


O BMW Série 5 GT possui 4,98 metros de comprimento por 3,070 mm de distância entre eixos. Verifico como funciona o "cruise-control", a minha intenção é aproveitar ao máximo este sistema que é um bom auxiliar para realizar uma condução estável e equilibrada. A ideia é viajar a velocidade cruzeiro, optimizando os consumos. Acerto a "agulha" do ponteiro do conta-quilómetros nos 120 km/h, o depósito com capacidade para 70 litros garante uma autonomia aceitável.


Viajo na faixa da direita, paragem para esticar as pernas e beber café na área de serviço de Grândola. O objectivo é almoçar um frango na Guia, as refeições nas áreas de serviço continuam caras. E não só, também a portagem não é barata. Chego a Paderne, pago 17,7 euros. No trajecto até ao Algarve o BMW Série 5 535 I GT fez uma média de 11,5 litros a gasolina.


Conduzimos o novo topo de gama BMW Série 5 GT

Nada demais, afinal debaixo do capot encontra-se um motor de 6 cilindros em linha, 2.979 cc de cilindrada e 306 CV de potência. Este é um automóvel que gosta de estrada aberta. Revela-se muito confortável a pisar a estrada, estável em piso molhado, a suspensão contribui para moldar as curvas na perfeição.


O motor deste Grand Turismo oferece-nos 400 Nm de binário às 1200 rotações, enquanto a caixa automática de oito velocidades revela-se ultra eficaz. O "Dynamic Drive Control" regula a firmeza da suspensão, a resposta do motor ao acelerador, e, claro, o funcionamento da transmissão e a assistência da direcção. A opção pelo modo Sport transforma por completo o ADN do Série 5. Ao carregar no botão "Sport" o som das duas ponteiras chega finalmente ao interior do habitáculo de qualidade. O motor ganha rotação, a direcção fica ainda mais directa e precisa, a suspensão mais seca mas, apesar de tudo, não deixa de ser confortável. Quem contribui para o elevado nível de aderência são os pneus Goodyear 245\40R20 Excellence calçados em jantes de liga leve com raio duplo 253 (um opcional de 2.400 euros).


Conduzimos o novo topo de gama BMW Série 5 GT

Um automóvel feito à medida

O sistema iDrive é de fácil manuseamento e muito intuitivo. Através deste comando rotativo conseguimos aceder ao sistema de navegação, escolher a estação de rádio, ligar o CD, controlar o DVD para assistir a um filme ou mesmo ver televisão quando o carro está parado. Tudo é regulável no BMW Série 5 Grand Turismo. O telefone, configurar o painel de instrumentos a nosso gosto, a climatização, as luzes, o ângulo de abertura das portas enfim...imagine que os passageiros do banco de trás até podem fazer de si motorista e comandar o sistema multimédia a partir dos bancos traseiros. Tudo graças a um comando parecido com o do televisor que temos em casa.


Uma das principais novidades deste modelo é a camara dianteira de ajuda ao parqueamento. Esta tecnologia de apoio ao condutor custa 337 euros mas... acaba por ser útil. É que na minha opinião, o formato do óculo do vidro traseiro não facilita a visibilidade para quem conduz.


Conduzimos o novo topo de gama BMW Série 5 GT

A BMW propõe no GT dois modos de abertura da porta da bagageira. A ideia não é totalmente nova, o primeiro modelo a utilizar este sistema foi o Skoda Superb. Existem dois modos de abertura e fecho: no Normal movimentamos apenas a parte inferior da tampa; já quando optamos por carregar do lado direito da tampa da mala o portão da bagageira mostra-nos todas as suas virtudes.


Conduzimos o novo topo de gama BMW Série 5 GT

O GT na sua configuração "base" possui cinco lugares, no caso da versão que ensaiamos tínhamos quatro poltronas hiper confortáveis (um opcional que custa 1765 euros). O preço do BMW Série 5 Grand Turismo é de 74.550 euros. A versão que conduzimos encontrava-se recheada de equipamento adicional de conforto e segurança. Mais 28.275 euros de equipamento opcional.


Conduzimos o novo topo de gama BMW Série 5 GT
CARAS

Escolhi o Suites Alba Resort & Spa situado na falésia da Praia de Albandeira, perto da Praia do Carvoeiro, para a sessão de fotos com o novo BMW Série 5 Grand Turismo. Um local fascinante conhecido como o hotel do Luís Figo.


Conduzimos o novo topo de gama BMW Série 5 GT

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras