Nas Bancas

Livro Moita Flores

Livro Moita Flores

Francisco Moita Flores e António de Sousa Duarte

Romance sobre Cosa Nostra junta ficção de Moita Flores à investigação de Sousa Duarte.

Cláudia Alegria
23 de junho de 2009, 17:26

O Sangue da Honra (ed. Sextante), romance de Francisco Moita Flores com investigação e ensaio de António de Sousa Duarte, é um retrato vivo da Sicília antiga, da Cosa Nostra, do cinema da América e de Frank Capra. O livro tem edições portuguesa e italiana (em Itália, com o título Frank Capra non era un Mafioso e com chancela da Cavallo di Ferro).

O romance, da autoria do Grande Oficial da Ordem do Infante, assenta numa profunda investigação levada a cabo por António de Sousa Duarte sobre a máfia siciliana (Cosa Nostra), a vida e o cinema do realizador Frank Capra, e a saga da emigração italiana para a América no começo do século XX.

A obra, à venda em simultâneo nas livrarias de Portugal e Itália, nasceu de uma investigação levada a cabo por António de Sousa Duarte, em Bisacquino, Sicília, onde descobriu terem nascido o cineasta Francesco 'Frank' Capra, autor de filmes como Uma Noite Aconteceu, , Não o Levarás Contigo, e Do Céu Caiu Uma Estrela'.

Quando António de Sousa Duarte chegou à Sicília, o primeiro objectivo da demanda era claro e preciso: mergulhar na vida de Frank Capra, o cineasta consagrado por Hollywood que nasceu naquele lugar do fim do mundo e perdido entre montanhas rochosas e pastos agrestes. Mas em Bisacquino uma surpresa aguardava por ele. Daí à descoberta de que, também ali, nascera um dos precursores da Máfia siciliana - D. Vito Cascio-Ferro foi um passo. É a partir de então que António de Sousa Duarte constrói um texto assente numa pesquisa aprofundada sobre dois homens tão comuns e, ao mesmo tempo, tão diferentes e aos quais veio a juntar-se Giuseppe 'Joe' Petrosino, um polícia natural de Pádua, radicado em Nova Iorque e que atravessa toda a investigação primeiramente concebida pelo autor.

Foi nesse ensaio que Francisco Moita Flores trabalhou ao entrelaçar todos aqueles, e outros, personagens memoráveis. Nasceu assim esta narrativa, plasmada num romance intensamente luminoso que recorda e evoca cenários que pensávamos já perdidos na memória colectiva mas que estão aí, afinal bem vivos no nosso quotidiano.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras