Nas Bancas

Luísa Cruz

Luísa Cruz

CARAS

Melhor Atriz Teatro: Luísa Cruz

A atriz já foi distinguida com um Globo de Ouro em 2006 e em 2011.

Redação CARAS
16 de maio de 2012, 02:52

Luísa Cruz já conta com 27 anos de teatro profissional e uma extensa lista de interpretações. Dedicou dez anos da carreira ao Teatro da Cornucópia onde, para além de Luís Miguel Cintra, trabalhou com encenadores como José Wallenstein, Stephan Stroux, Miguel Guilherme, Adriano Luz, Christine Laurent e Rui Mendes.
Licenciada em Teatro e Cinema pela Escola Superior do Conservatório Nacional de Lisboa, Luísa Cruz iniciou a sua carreira com a peça Pílades, em 1985. Quatro anos e cerca de dez peças depois vieram os primeiros prémios: o de Melhor Jovem Atriz (atribuído pela revista O Actor), e o de Atriz Revelação (atribuído pelo semanário Se7e).
A atriz tem dedicado a sua vida ao mundo do espetáculo e do entretenimento e já fez uma pouco de tudo: teatro de palco, teatro para televisão, canto, espetáculos de poesia, musicais, cinema, televisão, locuções e dobragens.
No Teatro São Carlos entrou em várias óperas, mas cantar fado é também uma das áreas em que se destaca. Como tal, em março de 2005, lançou Quando Lisboa Anoitece, um CD produzido em parceria com o pianista Jeff Cohen.
Entre a RTP, a SIC e a TVI participou, ao todo, em 20 telenovelas e séries. Espírito Indomável, Resistirei, Doce Fugitiva, Anjo Meu e, mais recentemente, Morangos com Açúcar, entre muitas outras.
Na sétima arte, entre outros trabalhos, Luísa Cruz entrou no Filme do Desassossego, de João Botelho, Veneno Cura, de Raquel Freire, Os Mutantes, de Teresa Villaverde, e Ao Sul, de Fernando Matos Silva.
Deu voz a alguns personagens do popular programa da RTP Contra-Informação e a muitos personagens infantis. Dedicou-se também à transmissão dos seus conhecimentos aos mais novos e, durante nove anos, deu aulas de teatro na Escola Secundária Fernão Mendes Pinto, em Almada.
Nos Globos de Ouro de 2006, Luísa Cruz ganhou o Prémio de Melhor Atriz de Teatro pelo trabalho desempenhado no ano anterior em três espetáculos muito diferentes: A Cadeira (texto de Edward Bond, encenação de Luís Miguel Cintra, Sangue no Pescoço do Gato (de Fassbinder) e A Orgia (de Pasolini, encenação de João Grosso).
Em 2011 repetiu o feito, ganhando mais um Globo de Ouro na mesma categoria, pelo papel na peça A Cidade, encenada por Luís Miguel Cintra.
Este ano volta a estar entre os nomeados, pelo desempenho em A Varanda - onde tem o papel de ‘Rainha’ - também encenada por Luís Miguel Cintra.
Catarina Wallenstein (na peça Não se Brinca com o Amor), Mónica Calle (na peça Recordações de Uma Revolução) e Sandra Faleiro (na peça Quem Tem Medo de Virginia Woolf?) são as outras atrizes que estão na corrida do galardão de Melhor Atriz de Teatro na XVII Gala dos Globos de Ouro.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras